MP brasileiro ajuda Paraguai no caso Ronaldinho

A investigação sobre o que fariam Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis no Paraguai de posse de documentos falsos ganhou um braço no Brasil. De acordo com o jornal “ABC Color”, o Ministério Público local tem a colaboração de seu correspondente brasileiro. As investigações apontam para um esquema de lavagem de dinheiro no vizinho sul-americano.

Além da ajuda brasileira, os quatro promotores do Ministério Público paraguaio que se debruçam sobre o caso contam ainda com o apoio da Polícia Nacional de seu país. Inicialmente, eles acreditavam que em dez dias seria possível concluir o inquérito e apontar o que havia por trás dos passaportes e identidades adulterados. Este prazo chegou ao fim sem que o objetivo fosse alcançado. Ainda assim, os investigadores sustentam que a apuração caminha bem. Mas ressaltam que ainda precisam de mais evidências para chegar a uma conclusão.

Enquanto isso, Ronaldinho e Assis seguem na Agrupación Especializada, em Assunção. Além deles, oito pessoas ligadas a este caso estão presas. Ao todo, 16 pessoas são investigadas. Nesta terça-feira, deve ser realizada a perícia nos celulares de Ronaldinho e Assis.