MP denuncia Flávio Bolsonaro por organização criminosa, peculato, lavagem e apropriação indébita

CRISTINA CAMARGO
·1 minuto de leitura
FILE - In this Oct. 22, 2019 file photo, Brazilian Sen. Flavio Bolsonaro, the eldest son of the nation's president, attends a voting session, in Brasilia, Brazil. Flavio Bolsonaro announced Tuesday, Aug. 25, 2020, that he has tested positive for COVID-19 and is in isolation despite having no symptoms. (AP Photo/Eraldo Peres, File)
Flávio Bolsonaro durante sessão do Senado no dia 22 de outubro de 2019 (AP Photo/Eraldo Peres, File)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), o ex-assessor Fabrício Queiroz e outros 15 investigados pela prática dos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e apropriação indébita no caso de suposta "rachadinha" na Assembleia Legislativa fluminense.

O MP-RJ suspeita que o senador recolhia o salário de parte de seus antigos funcionários na Assembleia para benefício pessoal.

Leia também

A denúncia foi apresentada por meio da Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e Direitos Humanos no dia 19 de outubro junto ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio.

No entanto, como o sistema do tribunal não permite o encaminhamento direto de peças processuais a desembargadores em férias, a denúncia foi redistribuída e nesta terça-feira (3), após o retorno às atividades do relator do caso, foi oficialmente entregue.

O caso está em "super sigilo" e, portanto, o MP-RJ não divulgou detalhes da denúncia contra o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, Queiroz e outras 15 pessoas.

O senador e Queiroz ainda não comentaram a denúncia divulgada no início da madrugada desta quarta-feira (4) pelo MP-RJ.