MP denuncia por ameaça manifestantes que protestaram em frente à residência do ministro Alexandre de Moraes

Ana Letícia Leão
O ministro do STF Alexandre de Moraes

SÃO PAULO - O Ministério Público de São Paulo denunciou, nesta segunda-feira, dois manifestantes favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro que href="https://oglobo.globo.com/brasil/manifestantes-protestam-em-frente-residencia-de-moraes-em-sao-paulo-1-24407560">participaram de um ato em frente ao prédio onde mora o minsitro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. Segundo informações do G1, Antonio Carlos Bonzeri e Jurandir Alencar foram denunciados por difamação, injúria, perturbação do sossego e ameaça. Mais:É #FAKE foto de presos com a faixa 'Alexandre Moraes no STF' durante rebeliãoO protesto ocorreu em 2 de maio. O grupo pedia a saída de Moraes do Supremo depois que ele decidiu impedir que o presidente nomeasse Alexandre Ramagem para a direção da Polícia Federal, alegando que a medida feria a impessoalidade do cargo do presidente, uma vez que Ramagem é amigo pessoal dos filhos do presidente.De acordo com trechos da denúncia da promotora de Justiça Alexandra Milaré Santos, publicados pelo G1, os manifestantes permaneceram por cerca de duas horas em via pública, realizando "diversas ameaças à vítima, tais como 'você e sua família jamais poderão sair nas ruas deste país, nem daqui há 20 anos". Ainda segundo a promotora, os manifestantes usavam um caixão em um dos carros utilizados no protesto, "simulando a morte do ofendido".Entenda:Moraes ignora recurso do governo e arquiva processo sobre nomeação de Ramagem para PFAs penas foram agravadas a pedido da promotoria pelo fato de os crimes terem sido cometidos contra um funcionário público e na presença de várias pessoas. Além disso, agravou-se, ainda, o fato de que o protesto foi realizado durante um período de calamidade pública, referindo-se à pandemia do coronavírus. O grupo do protesto usava bandeiras do Brasil e também fez ataques ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB-SP), que critica a postura de Bolsonaro no combate ao coronavírus. De acordo com imagens divulgadas nas redes sociais, cerca de 20 pessoas estavam no local. Um dos vídeos registra o momento em que o grupo diz palavrões.

Diante da confusão, a polícia foi chamada e três manifestantes foram levados á 14ª Delegacia de Polícia, em Pinheiros, na Zona Oeste da capital paulista. Ao menos dois deputados da base bolsonarista da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) foram à delegacia para dar assistências aos manifestantes detidos.