MP denuncia vereador Camilo Cristófaro por injúria racial

Vereador Camilo Cristófaro (Foto: André Bueno/CMSP)
Vereador Camilo Cristófaro (Foto: André Bueno/CMSP)

O vereador Camilo Cristófaro (Avante), de São Paulo, foi denunciado pelo Ministério Público à Justiça pelos crimes de injúria racial e ameaça. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o parlamentar teria xingado a auxiliar de enfermagem Dilza Maria Pereira de “negra safada” e “ladra”.

O promotor Bruno Orsini Simonetti, do Gecradi (Grupo Especial de Combate aos Crimes Raciais e de Intolerância), pede que Cristófaro pague indenização à mulher por danos morais e perca o cargo público, segundo o jornal.

A denúncia do MP foi protocolada na quinta-feira (9). Se o Tribunal de Justiça de São Paulo acatar o pedido, decidirá pela absolvição ou condenação do vereador.

Além de Cristófaro, uma líder comunitária, que acompanhava o parlamentar no episódio, também foi denunciada pelo MP.

O caso foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo no dia 18 de maio. Segundo Dilza, durante seu trabalho na Associação dos Recicladores do Parque do Gato, no Bom Retino, ela foi abordada com xingamentos pelo vereador.

Ele teria dito que ela é “uma nega safada, que está roubando a comunidade no valor de R$ 4 mil por mês por pessoa”, além de “nega traficante, safada, bandida” e “negra golpista e oportunista”.

O crime de injúria racial tem como pena reclusão de um a três anos e multa. Já o de ameaça prevê reclusão de seis meses a dois anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos