MP de Goiás oferece a 13ª denúncia por crimes sexuais contra João de Deus

O Globo
·1 minuto de leitura
reprodução

RIO — O Ministério Público de Goiás, por intermédio da Promotoria de Justiça de Abadiânia, ofereceu, na tarde de terça-feira, a 13ª denúncia contra João Teixeira de Faria, o ex-médium conhecido como João de Deus, pela prática de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude, envolvendo 18 mulheres.

Os promotores de Justiça que assinam a denúncia, Ariane Patrícia Gonçalves e Luciano Miranda, afirmam que, em relação a 11 vítimas, os crimes estão prescritos e, nesse caso, elas figuraram como testemunhas, com o objetivo de reforçar a forma de agir do denunciado.

Segundo apontam os promotores de Justiça, esses crimes aconteceram entre 1999 e 2018. As vítimas são de Goiás, Pará, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Bahia. Entre as provas apresentadas junto à 13ª denúncia, estão relatos, testemunhos, fotografias e documentos.

A Justiça já havia recebido outras 12 denúncias contra João Teixeira de Faria por crimes sexuais. Em duas, já houve condenação – em uma delas, a 19 anos e 4 meses de reclusão por violação sexual mediante fraude, na modalidade tentada; violação sexual mediante fraude; e dois estupros de vulneráveis; e na outra, a 40 anos de reclusão por 5 estupros de vulneráveis. Ele também já foi condenado a 4 anos de reclusão por posse irregular de arma de fogo de uso permitido e por posse irregular de arma de fogo de uso restrito.