MP investiga se hospital testou medicamento não aprovado no Brasil em pacientes com Covid-19

·2 minuto de leitura
Hospital da Brigada Militar teria realizado o uso do medicamento - Foto: Osmar Nólibus / BM
Hospital da Brigada Militar teria realizado o uso do medicamento - Foto: Osmar Nólibus / BM
  • Denúncia apontou que o Hospital da Brigada Militar em Porto Alegre teria utilizado Proxalutamida em pacientes com Covid-19

  • O medicamento não tem aprovação da Anvisa e foi liberado apenas para estudos clínicos no país

  • O MPF recebeu a denúncia e abriu investigação sobre o caso

O Ministério Público Federal (MPF) está apurando se um hospital em Porto Alegre testou um remédio não aprovado no Brasil em pacientes com Covid-19. A informação foi revelada nesta quarta-feira pelo G1.

Segundo o portal, o MPF informou que abriu inquérito para investigar “o eventual uso irregular do medicamento Proxalutamida em testes para o tratamento da Covid-19 no Hospital da Brigada Militar em Porto Alegre (HBMPA)”.

Leia também:

A denúncia foi feita em reportagem do site Matinal. De acordo com a nota, o HBMPA teria utilizado o medicamento para tratar cerca de 50 pacientes que estavam internados com coronavírus.

Responsável pelo inquérito, a procuradora da República Suzete Bragagnolo relatou ao G1 que reportou as informações à 2ª Vara Criminal do MPF e que aguardava informações da Anvisa, do hospital e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

RIO DE JANEIRO, BRAZIL â JUNE 23: Doctors and nurseSubstância teria sido administrada em pacientes com Covid-19 (Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)s, physiotherapists fight to save lives at the Intensive Care Unit of the Pedro Ernesto State Hospital, north of the city of Rio De Janeiro, Brazil on June 23, 2021. Coronavirus: Brazil reaches 504,717 deaths in 18,054,653 confirmed cases. Daily report, in the last 24 hours, were included 87,822 more infected and 2,131 deaths from the disease. The lethality rate in the entire national territory at this time remains at 2.8%. With these new data on the pandemic, the country remains the second with the highest number of deaths and the third in the world infected by the coronavirus, according to with Johns Hopkins University and Worldometers data. Brazil is currently one of the leaders in increasing daily deaths and cases in the world. (Photo by Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)
Substância teria sido administrada em pacientes com Covid-19 (Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)

"É preocupante. Como não tenho informação dos órgãos envolvidos, são informações preliminares, é importante ter cautela. Se confirmadas [as denúncias], no meu entendimento, são graves", avaliou.

Medicamento foi liberado para estudos

A Anvisa manifestou-se por meio de nota, explicou que o medicamento não possui autorização de importação e que teve o uso liberado no Brasil apenas para dois testes clínicos.

"Não houve solicitação de Licença de Importação para a substância Proxalutamida no Brasil no período de janeiro de 2018 até 9 de agosto de 2021", explicou o órgão.

Os estudos teriam sido conduzidos pelo HBMPA sem cadastro na Conep. “Só tivemos conhecimento pela imprensa. Não tivemos nenhuma comunicação por parte do responsável", disse o coordenador da Comissão, Jorge Venâncio, ao G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos