MP oferece mais 5 denúncias contra médico acusado de estuprar pacientes, em Goiás

·1 min de leitura

RIO - O ginecologista Nicodemos Junior Estanislau Morais, de 41 anos, foi novamente denunciado por crimes sexuais. Nesta terça-feira, o Ministério Público de Goiás (MPGO) o acusou de ter cometido abusos contra 42 vítimas. Os promotores que atuam no caso também pediram prisão do suspeito.

De acordo com o MPGO, do total de vítimas, 39 sofreram estupro. As outras 3 mulheres foram vítimas de violação sexual.

Os promotores fizeram a denúncia com base nos relatos de todas as mulheres que noticiaram os abusos na Delegacia da Mulher de Anápolis. Ao todo, 51 vítimas denunciaram ter sofrido abusos dentro do consultório do médico.

O MPGO ouviu novamente 38 delas. E em seis casos os promotores concluíram que não houve crime e pediram o arquivamento das investigações.

Os promotores estimam que, caso condenado em todos os processos, o médico seja condenado a mais de 300 anos de prisão.

Bloqueio de bens

Além do pedido de prisão do médico, o MPGO também requereu o bloqueio de bens e valores do ginecologista em R$ 100 mil para cada vítima, a fim de assegurar futuro ressarcimento pelos prejuízos morais causados às mulheres.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos