MPF dispensa Venina como testemunha da Lava Jato por falta de informações relevantes

Venina Velosa em entrevista ao Fantástico



A geóloga Venina Fonseca foi dispensada como testemunha da Operação Lava Jato pelo Ministério Público Federal (MPF). O órgão alegou que ela não possui informações relevantes após seu primeiro depoimento, prestado na última terça-feira (3). Ela ainda seria ouvida nos processos envolvendo a OAS (no dia 5), Camargo Corrêa (6), Galvão Engenharia (10) e Mendes Junior (12).

“VENINA foi ouvida no MPF no dia 17 de dezembro de 2014 e ouvida em juízo nesta data de 3/02/2015 (…) pouco esclarecendo sobre os fatos apurados. Assim, o MPF entende conveniente desistir da oitiva de VENINA”, afirmam os procuradores do caso no informe à Justiça Federal.

No final das contas, o depoimento de Venina foi considerado extremamente técnico e burocrático. Ela foi bastante genérica ao comentar as tomadas de decisões na estatal e, por isso, acabou dispensada. A geóloga, porém, deverá voltar a ser ouvida em novas denúncias da operação.