MPF investiga hospital que negou aborto a menina de 10 anos

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

O Ministério Público Federal (MPF) informou nesta terça-feira (21) que está investigando o Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago, em Florianópolis (SC), pelo atendimento dado à menina vítima de estupro que chegou grávida ao local, junto com a mãe.

Na época com 10 anos e com 22 semanas de gestação, a criança teve o seu direito de acesso ao aborto legal negado porque a unidade só realizava aborto em gestações de até 20 semanas.

A legislação brasileira não determina prazo gestacional para realização do procedimento.

À época, o hospital teria informado à família que somente faria o aborto com uma decisão judicial. Mesmo com a decisão em mãos, o aborto não foi levada adiante, pois a menina foi mantida em um abrigo, após decisão da juíza Joana Ribeiro Zimmer.

Segundo o MPF, o inquérito civil foi instaurado ontem e "prioriza a apuração dos fluxos e trâmites do HU" em relação ao caso. Masi detalhes do procedimento de investigação não foi divulgado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos