MPF pede acesso a dados do TCU sobre publicidade do BB em sites que veiculam fake news

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público Federal solicitou ao Tribunal de Contas da União o compartilhamento de informações contidas em processos sobre gastos do Banco do Brasil com publicidade em sites acusados de disseminar fake news. O pedido foi feito pelo procurador da República Marcelo Ribeira de Oliveira.

Em maio e junho de 2020, o TCU determinou a suspensão de contratos de anúncio publicitário do Banco do Brasil após análise de repasses de verba do banco para sites acusados de publicar notícias falsas.

Em novembro, após a implementação de medidas para evitar a publicidade do Banco do Brasil em veículos de divulgação de notícias falsas, o tribunal liberou a retomada das propagandas institucionais em sites, blogs e redes sociais.

Os processos aos quais o MPF deseja ter acesso também tratam de possível intermediação da Secretaria de Comunicação da Presidência, à época comandada por Fabio Wajngarten, para que Carlos Bolsonaro, filho do presidente, influenciasse na definição dos sites que seriam contemplados pela publicidade do BB.

O ministro do TCU Bruno Dantas deferiu o pedido feito pelo procurador.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos