MPTCU pede bloqueio de bens de Bolsonaro, Ibaneis e Torres devido ao terrorismo no DF

Solicitação é assinada pelo sub-procurador geral do MPTCU, Lucas Rocha Furtado (REUTERS/Adriano Machado)
Solicitação é assinada pelo sub-procurador geral do MPTCU, Lucas Rocha Furtado

(REUTERS/Adriano Machado)

  • MPTCU pede o bloqueio de bens de Jair Bolsonaro devido aos atos de terrorismo no DF;

  • Pedido também envolve Ibaneis Rocha, Anderson Torres e os financiadores da depredação;

  • Pedido foi enviado ao ministro do TCU, Bruno Dantas.

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas de União (MPTCU) pediu o bloqueio de bens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em virtude dos atos de terrorismo que aconteceram em Brasília no último domingo (8).

Além de Bolsonaro, também é solicitado o bloqueio de bens:

  • Do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) - afastado por 90 dias a mando do Supremo Tribunal Federal (STF);

  • Do ex-secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres;

  • De “outros responsáveis, sobretudo de financiadores de mencionados atos ilegais”.

Conforme divulgado pela CNN, o pedido foi feito ao ministro do TCU, Bruno Dantas, e é assinado pelo sub-procurador geral do MPTCU, Lucas Rocha Furtado.

“Em razão de processo de Tomada de Contas e do vandalismo ocorrido no Distrito Federal no dia 8 de janeiro de 2023, que provocou inúmeros prejuízos ao erário federal, solicito que seja decretada a indisponibilidade de bens”, diz o texto.

Ao Valor Econômico, integrantes do TCU já haviam afirmado que a prioridade seria levantar o total do prejuízo causado ao patrimônio público para, posteriormente, construir o nexo de causalidade entre a possível omissão de Ibaneis e Torres dos danos.

Na conclusão do pedido, Rocha Furtado se coloca à disposição da Corte “para novos pedidos de indisponibilidade”.

Como se organizaram os atos terroristas em Brasília? A linha do tempo interativa abaixo te mostra, clique e explore:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Obras de arte foram destruídas, itens roubados e o prejuízo ainda é calculado pelas autoridades. Veja a lista completa de obras destruídas nos ataques. Até o fim da segunda (10), pelo 1.500 envolvidos no episódio já haviam sido presos.