MSN substitui jornalistas por Inteligência Artificial

Stephanie Kohn

A Microsoft demitiu centenas de jornalistas e funcionários da área editorial dos portais Microsoft News e MSN para substitui-los por Inteligência Artificial. De acordo com o The Verge, o software fará a curadoria das notícias que são publicadas pelos serviços. A maioria dos afetados pelo corte fazia parte da divisão chamada de Microsoft SANE (search, ads, news, edge), que ajuda editores na escolha de conteúdos divulgados.

"Assim como a maioria das empresas, nós avaliamos nossos negócios regularmente", disse o porta-voz da Microsoft em uma declaração oficial. "Isso pode resultar em investimento em alguns locais e, de tempos em tempos, recuo em outros."

Enquanto a Microsoft afirma que as demissões não estão relacionadas à pandemia, o mercado de mídia em todo o mundo está sofrendo fortemente com a diminuição da receita em publicidade em TV, jornais, sites e outros canais.

O Business Insider, por exemplo, reportou demissões na última sexta-feira (29) e disse que cerca de 50 posições foram afetadas nos Estados Unidos. Já as baixas nos times da Microsoft extrapolam fronteiras, sendo que, somente no Reino Unido, 27 pessoas foram embora, segundo o jornal The Guardian.

A Microsoft está no mercado de notícias há mais de 25 anos, após lançar o MSN em 1995. No lançamento do Microsoft News, cerca de dois anos atrás, a empresa revelou que teria mais de 800 editores trabalhando em 50 locais ao redor do mundo.

No entanto, nos últimos meses, a companhia tem gradualmente adotado a IA e encorajado jornalistas e editoras a usar também. A Microsoft tem usado Inteligência Artificial para escanear conteúdo, processar e, então, filtrar e até sugerir fotos para os editores humanos.

Fonte: Canaltech