MST joga pés de frango no Ministério da Economia em ato contra Guedes

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  20-05-2021, 12h00: O ministro da Economia Paulo Guedes durante entrevista à Folha em seu gabinete. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 20-05-2021, 12h00: O ministro da Economia Paulo Guedes durante entrevista à Folha em seu gabinete. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um grupo de integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) realizou um ato contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, na entrada do prédio da pasta nesta quinta-feira (7).

Com pés de frango e notas de dólar de mentira estampadas com o rosto de Guedes, o grupo protestou contra a inflação da comida e criticou a existência de offshore milionária do ministro em paraíso fiscal.

Os investimentos de Guedes foram revelados no domingo (3) por veículos como a revista Piauí e o jornal El País, que trouxeram à tona documentos da Pandora Papers.

Os manifestantes também jogaram tinta na fachada lateral do prédio e carregaram um cartaz que dizia "Paraíso fiscal, investe em mim".

No dia 23 de setembro, o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e a frente Povo Sem Medo invadiram o edifício-sede da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), na região central da capital, para protestar contra a fome.

COALIZÃO PEDE IMPEACHMENT DE GUEDES

A Coalizão Direitos Valem Mais, que reúne 200 entidades, deve protocolar nesta quinta-feira um pedido para que o STF (Supremo Tribunal Federal) remova Paulo Guedes do cargo.

O pedido de impeachment não está relacionado à offshore, mas aos supostos crimes de responsabilidade que o ministro teria cometido durante a pandemia de Covid, como não ter incluído na proposta de Orçamento de 2021 recursos para combater o coronavírus.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos