MTST ocupa Bolsa de Valores de SP para protestar contra 'carestia' e 'fome'

·1 minuto de leitura
Ativistas do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) invadem a sede da Bolsa de Valores de São Paulo, em 23 de setembro de 2021 (AFP/NELSON ALMEIDA)

Ativistas do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocuparam brevemente a sede da Bolsa de Valores de São Paulo, a principal da América Latina, nesta quinta-feira (23) para protestar contra a "carestia" e a "fome", verificou a AFP.

"Ocupamos a bolsa de valores de São Paulo, maior símbolo da especulação e da desigualdade social. Enquanto as empresas lucram, o povo passa fome e o trabalho é cada vez mais precário", disse o MTST em sua conta no Twitter, após entrar na sede, localizada em centro da capital paulista.

Lá dentro, várias dezenas de pessoas agitavam bandeiras vermelhas e faixas em frente aos painéis da bolsa, enquanto faziam barulho, de acordo com imagens postadas nas redes sociais.

“Tá tudo caro! A culpa é do (presidente, Jair) Bolsonaro!”, diziam alguns dos cartazes dos manifestantes. Duas mulheres sobre as bancadas exibiam uma bandeira onde se lia "Fome", segundo um vídeo publicado no Twitter.

Pouco depois, o grupo deixou o prédio, descobriu um fotógrafo da AFP.

O MTST é um movimento que reúne trabalhadores urbanos e tem como principal objetivo o combate ao “capital”, de acordo com seu site.

A ação foi realizada em protesto “contra a carestia e a fome provocadas pela política econômica aplicada por Paulo Guedes e Bolsonaro”, destacou o MTST em sua página no Facebook.

Além disso, o protesto serviu para denunciar os “lucros recordes dos bancos, o aumento de grandes fortunas e o surgimento de 42 novos bilionários no mesmo país onde a insegurança alimentar atinge mais de 116 milhões de pessoas ”.

A inflação disparou no Brasil nos últimos meses, chegando em agosto a 9,68% no acumulado de 12 meses, enquanto o desemprego atinge 14,4 dos 213 milhões de habitantes do país.

mls/app/dga/ic/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos