Opositores de Putin protestam contra a corrupção em várias cidades da Rússia

Moscou, 26 mar (EFE).- Milhares de opositores do presidente da Rússia, Vladimir Putin, foram às ruas de várias cidades do país neste domingo para protestar contra a corrupção no alto escalão do governo, apesar das autoridades terem proibido muitas das manifestações.

O dia nacional de protesto contra a corrupção foi convocado por um dos líderes da oposição e candidato à presidência, Alexei Navalni. Os atos foram realizados em cidades como Vladivostok, Krasnoyarsk e Tomsk, onde não tinham permissão das autoridades locais para ocorrer.

Segundo a imprensa russa, em Vladivostok a polícia prendeu mais de 30 pessoas.

"As manifestações transcorrem de maneira pacífica e não ocorreram detenções maciças", informou o site de Nalvani, que transmite imagens ao vivo das manifestações em várias cidades do país.

O ato principal do protesto foi convocado em Moscou em uma rua do centro da capital, mas também não tem permissão para ocorrer, o que fez as autoridades alertarem sobre medidas que serão tomadas para conter os manifestantes.

O dia nacional de protesto foi convocado com o tema "Dmitri pagará", que faz referência ao primeiro-ministro do país, Dmitri Medvedev, acusado de ser um dos homens mais corruptos da Rússia.

O líder da oposição fez essa denúncia no início do mês em um vídeo publicado no Youtube, resultado de uma investigação de vários meses e que já foi visto mais de 10 milhões de vezes.

No vídeo, Nalvani afirma que Medvedev, um dos principais aliados de Putin e ex-presidente da Rússia, acumulou um império em ativos, tanto dentro como fora do país, através de fundações beneficentes comandadas por parentes e pessoas de sua mais absoluta confiança.

"Baseando-nos na documentação publicada, afirmamos que para as fundações de Medvedev foram transferidos pelo menos 70 bilhões de rublos (cerca de US$ 1,2 bilhão) em dinheiro e propriedades", afirmou Navalni. EFE