Múcio nega saída e diz que fala de Janones é "completamente falsa"

Ministro teria se desgastado com Lula após declarações sobre manifestações golpistas

Múcio negou que esteja de saída do Ministério da Defesa após circular uma postagem do deputado federal André Janones, novo aliado de Lula. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Múcio negou que esteja de saída do Ministério da Defesa após circular uma postagem do deputado federal André Janones, novo aliado de Lula. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
  • José Múcio Monteiro Filho negou que esteja de saída do Ministério da Defesa

  • Manifestação aconteceu em resposta ao deputado André Janones, que noticiou uma suposta carta de renúncia do ministro

  • Múcio tem se destacado por declarações controversas a respeito das manifestações golpistas

O ministro da defesa do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), José Múcio Monteiro Filho, negou que esteja próximo de deixar a pasta.

A manifestação, via comunicado oficial divulgado por seu ministério, é uma resposta ao deputado federal André Janones (Avante), que sinalizou a renúncia de Múcio em postagem nas redes sociais.

"URGENTE! Ministro da Defesa José Múcio deve entregar sua carta de renúncia nas próximas horas!", escreveu no Twitter na noite da última terça-feira (10).

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Janones se estabeleceu como nome forte da campanha de Lula durante a eleição, especialmente na comunicação. Mesmo assim, Múcio garantiu que o parlamentar está equivocado.

"O Ministro da Defesa, José Múcio Monteiro Filho, informa que não pediu renúncia do cargo. É completamente falsa a informação que circula nas redes sociais", afirmou em nota.

Os rumores sobre uma possível saída de Múcio, mesmo dias após ser empossado como ministro da Defesa, ganharam força após suas declarações sobre os atos golpistas por todo o país.

Ex-aliado de Jair Bolsonaro (PL), com quem admitiu manter amizade, Múcio defendeu que os acampamentos bolsonaristas são "manifestações da democracia". Depois, teria batido de frente com Lula ao defender que os manifestantes deixassem o local "consensualmente".

Somente depois dos atos terroristas promovidos por golpistas no último domingo (8), em Brasília, o ministro pareceu ter sido convencido sobre a gravidade das manifestações.

"Não tem como continuar assim, vamos tomar providência, não tem mais como aturar isso", disse, em entrevista à TV Globo, sobre os acampamentos.

Bolsonaro já disse ser "apaixonado" por Múcio

Em 2020, quando ainda estava no poder, Bolsonaro não poupou elogios a Múcio, então ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), durante o Fórum Nacional de Controle.

"Eu sou apaixonado por você. Gosto muito de Vossa Excelência", afirmou sobre o ministro, que estava prestes a se aposentar do órgão.

Na ocasião, Bolsonaro foi além e convidou, ainda que informalmente, o amigo para integrar seu governo. "Se a saudade lhe bater, venha para cá, estará entre nós, pode ter certeza. No nosso primeiro time, para, do outro lado aqui, do Executivo, traçarmos e fazermos política para o futuro da nossa nação.”