Muda terá dificuldades para se entregar a Tibério após festa de casamento em 'Pantanal', conta Bella Campos

Que Muda (Bella Campos) anda falando pelos cotovelos há um bom tempo, quem assiste a “Pantanal” já percebeu. A fala mais importante para a mudança de vida da personagem, no entanto, acontece em breve, quando ela diz “sim” a Tibério (Guito) no tão aguardado casamento que acontece nos próximos capítulos. E é uma cerimônia em dose dupla, já que Jove (Jesuita Barbosa) e Juma (Alanis Guillen) selam a união também. Mas, diferentemente dos contos de fadas que terminam no “felizes para sempre”, alguns dilemas na vida dos pombinhos continuam depois do dia festivo.

— Pela primeira vez na vida, Muda vai se sentir escrevendo sua própria história. Mas, mesmo ela tentando ao máximo se entregar ao marido, vai ter um pouquinho de dificuldade no início, por tudo o que já viveu. Apesar disso, eles vão ter uma relação de muita troca. Várias coisas que Muda ainda não tinha contado para o Tibério ela vai confidenciar depois de casada — adianta Bella.

A menina-onça, por sua vez, não demonstra metade da empolgação da amiga com o matrimônio, como conta Alanis.

— Para Juma, o casamento não muda nada, ela nem entende o porquê daquilo. Casa conforme o Jove propõe, mas se finda mesmo nesse amor que sente pelo Joventino. Ela aceita essa convenção porque é indiferente pra ela. O que importa mesmo é o amor, se ele estará junto com ela ou não — frisa a atriz.

Se na ficção a celebração será animada, com direito a fuga da Marruá e com o Velho do Rio (Osmar Prado) convencendo-a a voltar para subir ao altar, nos bastidores de gravação a empolgação não ficou atrás.

— Estava tudo lindo! Os figurinos, o discurso do padre (Cacá Amaral)... A gente estava tão feliz pelos casais que parecia uma festa real mesmo. Tinha um bolo de verdade, mas que a gente acabou não conseguindo comer no final — descreve Bella, destacando um luxo particular desse casório: — Imagina o Almir Sater (o condutor da chalana, Eugênio, é quem toca na celebração) cantando no seu casamento com toda aquela galera reunida?

O vestido branco teve ainda um peso a mais para a intérprete de Muda. Estreante em novelas, ela recorda que sua primeira experiência como atriz foi justamente vestida de noiva, mas para fazer uma campanha publicitária.

— Quando experimentei o vestido, passou pela minha cabeça toda a minha trajetória. O meu primeiro teste, a entrada numa escola de atuação, na Globo... Estar casando minha primeira personagem é muito emocionante — valoriza ela, destacando que ser conduzida até o altar por Marcos Palmeira, na pele de José Leôncio, foi especial: — Entrar com o Marquinho foi emocionante. Tenho um carinho muito grande por ele, que está sempre trocando com a gente, ensinando, se preocupando com todos.

Apesar das boas sensações que experimentou, no entanto, Bella afirma que essa vontade de encarar uma cerimônia clássica e tradicional não passa por sua cabeça:

— Ainda não tenho esse desejo pulsando dentro de mim. Por isso que a nossa profissão é tão boa. Podemos experimentar coisas, depois trocar de roupa, ir para casa e voltar a levar a nossa vida normalmente (risos)!

Alanis é mais prática ainda em relação ao assunto, com uma opinião bem parecida com a de sua personagem.

— Sou meio Juma nesse lugar. O casamento pra mim é uma questão burocrática que não me interessa. A celebração do amor está em outro lugar que não esse. Está no sentimento, na troca — define Alanis.

Mais detalhes

Os vestidos usados pelas noivas foram pensados de maneira especial para cada uma, como conta Marie Salles, figurinista do folhetim. Eles têm tricô, couro e um trabalho dedicado na costura.

O de Juma é mais rústico e remete à natureza.

— É feito com uma trama de tricô e crochê intercaladas com as tiras dos retalhos de couro cortadas manualmente — descreve Marie.

Já o de Muda tinha que passar a ideia de ter sido feito manualmente, por uma costureira. E assim foi!

— São dois tecidos, um transparente com textura, e um tecido floral, embaixo. Quando ela anda, esse tecido floral aparece, com estampas bem miúdas. Na cabeça, ela tem também uma guirlanda de flores secas, nas cores rosa e lilás, que acompanham a estampa do vestido — compartilha a figurinista.

Para Alanis ver todo o elenco junto deu um toque de emoção à cerimônia.

— É raro estarmos todos juntos. Foi um dia lindo. A decoração, os preparativos de meses. Foi tudo valioso. Não tem como não se emocionar. É um momento de amor de um casal que a gente ama. Quando Juma chega ali no altar para celebrar com Jove e cola o corpo no dele, ela sem entender nada, com aquela galera toda... Eu senti uma emoção muito forte ali, por estar vivendo tudo isso.

(Colaborou Gabriela Germano)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos