Mujica e Fernández organizam viagens ao Brasil

O ex-presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, participará neste sábado da caminhada organizada pela campanha de Luiz Inácio Lula da Silva em São Paulo, confirmaram ao GLOBO fontes uruguaias e do PT. Já o presidente da Argentina, que se comunicou com Lula para dar parabéns ao ex-presidente no dia de seu aniversário, está avaliando viajar para São Paulo nos próximos dias. As opções, conformaram fontes do PT, seriam no próprio domingo da eleição, ou na segunda-feira, dependendo do resultado.

Fernández e Lula são muito próximos e o presidente argentino, achando que o candidato do PT tinha chances de vencer no primeiro turno, chegou inclusive a pensar, naquele momento, em fazer uma viagem relâmpago ao Brasil. Seus assessores o convenceram de que era melhor esperar, e finalmente Fernández suspendeu seus planos, agora retomados com a expectativa de vitória de Lula no segundo turno.

Tensão: Fernández errou ao manter acordo da Argentina com FMI, diz Lula a empresários

Primeiro turno: Argentina parabeniza Lula e diz respeitar a 'vontade do povo brasileiro'

Direita com Bolsonaro: Em clima de pânico, direita latino-americana busca se articular para impedir vitória da esquerda no Brasil e na Colômbia

Segundo as fontes consultadas, "as conversas avançaram nos últimos dias e a ideia seria que o presidente argentino venha a São Paulo domingo, ou segunda-feira". Fernández nunca escondeu sua preferência por Lula, a quem visitou na prisão em 2019 e sempre defendeu publicamente.

Entrevista: 'As pessoas respeitam as Forças Armadas, mas nos quartéis’, diz ex-presidente da Colômbia

Perrengues argentinos: Na Argentina que tem até o dólar Catar, sobram cotações de câmbio e faltam produtos básicos

Em coluna de opinião publicada em meios de comunicação da Argentina, o ex-presidente do Uruguai disse esperar que "o companheiro sindical Lula possa ajudar o país do samba e da alegria a retomar sua personalidade, e que saia dessa violência na qual caiu nos últimos anos. O Brasil não merece tanto ódio, rancor, tanta miséria... é hora de decisões em nossa América, para o Brasil e para nós mesmos, hora de repensar o caminho da vida".