Mukesh Ambani entra no seleto grupo dos que têm fortuna acima de R$ 100 bilhões

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • A pessoa mais rica da Ásia agora também entra no exclusivo grupo dos que têm, ao menos, US$ 100 bilhões;

  • O magnata indiano atingiu o feito após as ações de sua empresa atingirem recorde histórico na sexta-feira (9);

  • Mukesh Ambani é a 11ª pessoa de todo o mundo a entrar no seleto grupo, que tem Jeff Bezos e Elon Musk.

Mukesh Ambani é a pessoa mais rica da Ásia. Agora, também entra no seleto grupo de indivíduos que têm, ao menos, US$ 100 bilhões, o equivalente a R$ 550 bilhões, e que conta com figuras como Elon Musk e Jeff Bezos.

O presidente da Reliance Industries, da Índia, conquistou o feito após as ações de seu conglomerado atingirem um recorde histórico na sexta-feira (8), o que elevou sua fortuna para U$ 100,6 bilhões, segundo a Bloomberg Billionaires Index, índice que rastreia o patrimônio líquido das pessoas mais ricas do mundo.

Leia também:

Mukesh, de 64 anos, herdou os negócios de refino de petróleo e petroquímica de seu pai, Dhirubhai Ambani, em 2005. Desde então, o atual homem mais rico da Ásia procurou transformar os negócios herdados em um gigante do varejo e da tecnologia. Dessa forma, a riqueza de Ambani cresceu em US$ 23,8 bilhões apenas em 2021. 

Agora, o magnata é a 11ª pessoa em todo o planeta a entrar no exclusivo grupo dos US$ 100 bilhões.

Na Índia, a unidade de telecomunicações Jio Platforms, de Ambani, criada em 2016, já se tornou a provedora de serviços dominante do mercado indiando, arrecadando US$ 27 bilhões em 2020. 

Contudo, o magnata também tem o plano ambicioso de entrar no setor de energia verde, investindo cerca de US$ 10 bilhões em três anos.

As informações são do jornal O Globo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos