Mulher é estuprada e ferida a tesourada após ceia de Natal; suspeito é procurado

Um homem acusado de estupro e tentativa de feminicídio contra uma mulher na madrugada de Natal, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, é procurado pela Polícia Civil. Carlos Flávio da Silva dos Santos, de 27 anos, invadiu a casa da vítima por volta das 4h do dia 25 e praticou os crimes na frente da filha da mulher, de 3 anos. Contra ele foi expedido um mandado de prisão temporária, e ele já é considerado foragido da Justiça.

Mãos e pés amarrados: Polícia prende homem suspeito de matar mulher e colocar o corpo em saco plástico

Recomeço: Mulher que passou 17 anos em cárcere privado com os dois filhos sonha conhecer o mar

Familiares da vítima afirmam que Carlos é vizinho da mulher, mas que ela não o conhecia. Após sofrer a violência sexual e tentar reagir, a vítima teve o pescoço cortado com uma tesoura. O acusado também a golpeou com socos e tapas.

— Ele invadiu a casa pela área de serviço e a estuprou. Quando ela reagiu, ele pegou uma tesoura e furou o pescoço dela. Ela conseguiu tirar a tesoura dele, mas levou vários tapas e socos, na frente da nossa filha — conta o ex-companheiro da vítima.

Segundo ele, a filha do casal está muito assustada desde que presenciou o crime, e teme que o homem volte para agredi-las:

— Ela sempre pediu para ir ao banheiro, mas, desde domingo, faz xixi nas calças e fala "papai, não deixa o moço voltar, ele machucou a gente". Minha filha viu o corredor e o quarto com marcas de sangue e pediu para que eu limpasse a cama dela, pois estava suja.

Após os crimes, a vítima conseguiu pedir socorro ao ex-companheiro, que mora no mesmo terreno, e foi levada ao Hospital Estadual Alberto Torres, em Colubandê, onde levou pontos no pescoço e foi medicada. Ela recebeu alta médica no mesmo dia.

Na noite de terça-feira, o Disque Denúncia divulgou um cartaz pedindo informações que levem a Carlos. A prisão dele foi decretada pelo Plantão Judiciário de Niterói.

Sete processos na Justiça: Holandesa desaparecida se mudou para o Rio sem avisar advogada que a defendia e em meio a penhora de bens

De acordo com a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de São Gonçalo, onde um inquérito foi aberto para apurar o crimes, diligências estão em andamento para localizar o autor.