Mulher acha busto romano de 2 mil anos por US$ 35 em brechó no Texas

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Uma comerciante de antiguidades foi pega de surpresa ao encontrar um busto romano de 2.000 anos, que deveria ter um valor inestimável, por apenas US$ 35 (equivalente a R$ 176) em um brechó no Texas (EUA). Estima-se que a peça tenha sido importada da Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial.

Em entrevista ao jornal local San Antonio Express-News, Laura Young encontrou o busto romano em uma loja na cidade de Austin em 2018. Ela se apaixonou pelo objeto e não pensou duas vezes antes de comprá-lo.

"Ele parecia romano, parecia velho", disse. 'À luz do sol, parecia algo que poderia muito especial".

Mesmo assim, o instinto profissional de Laura dizia que se deparar com uma peça antiga e valiosa naquelas circunstâncias era bom demais para ser verdade. Então, ela entrou em contato com especialistas em arte da Universidade do Texas, além de outros colecionadores e leiloeiros em todo o país para averiguar a autenticidade do objeto e sua origem.

Um dos especialistas consultados, cuja identidade não foi revelada, confirmou que era um de fato um artefato romano antigo, mas um especialista da companhia de leilões Sotheby's, Jorg Deterling, descobriu a época de sua fabricação, que remonta ao final do século 1 a.C. até o início do século 1 d.C.

O busto, chamado "Retrato de um homem", foi exibido na quarta-feira (4) no Museu de San Antonio, onde permanecerá até maio de 2023. A relíquia viajará de volta para a Alemanha, onde reaparecerá pela primeira vez desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

"Ele já esteve na cidade de Aschaffenburg, na Alemanha, em um modelo em escala real de uma casa de Pompéia, chamada Pompejanum, construída pelo rei Ludwig I da Baviera", explicou o Museu de Arte de San Antonio em um comunicado.

A antiguidade desapareceu depois que Aschaffenburg, cidade alemã onde permaneceu por décadas, foi fortemente abalada por bombardeios das forças aliadas durante a Segunda Guerra Mundial, incluindo o Pompejanum.

Os investigadores acreditam que provavelmente a obra foi parar nos Estados Unidos, porque um soldado americano voltou para casa com ela após a guerra. O militar deveria ter residido no Texas, onde a obra permaneceu desconhecida até quatro anos atrás.

Lara Young disse que alertou as autoridades alemãs assim que foi confirmado a procedência da antiguidade. Ela fez arranjos para que a obra de arte retornasse à Baviera em maio do próximo ano, depois que os amantes da arte de todos os cantos dos EUA tiveram a chance de ver o busto com seus próprios olhos.

"Ele esteve escondido por 70 a 80 anos, achei que merecia ser visto e estudado", declarou.

Um fragmento de história

Embora nunca tenha sido confirmado, o busto provavelmente retrata Sexto Pompeu, um líder militar romano, que ao longo de sua vida, defendeu o pai, Pompeu, o Grande, contra Júlio César e seus partidários durante as últimas guerras civis da República Romana.

Pompeu, o Grande, pai de Sexto, foi morto no Egito depois de fugir do território romano após a derrota em uma batalha contra seu ex-aliado, Júlio César, que se tornou ditador de Roma de 49 a.C. até o seu assassinato, em 44 a.C.

Laura Young acredita que jamais teria encontrado a antiguidade se não tivesse entrado no negócio de venda de artes em 2011, quando abriu sua empresa Temple of Vintage.

Ela confessou que será difícil se despedir da obra, que permaneceu em sua casa por um longo tempo, mas se sente ainda mais satisfeita em saber sua verdadeira história e vê-la no museu ao alcance de todos.

"Foi muito emocionante vê-lo em um museu. E também meio surreal, porque ele estava na minha sala há mais de três anos. Eu me apeguei a ele na minha casa, bem na entrada. Ele se tornou parte da família", brincou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos