Mulher que acusa Biden de assédio pede que ele desista da candidatura presidencial

(Arquivo) O candidato democrata à presidência americana, Joe Biden

Uma mulher que alega ter sido agredida sexualmente pelo candidato democrata à Casa Branca Joe Biden pediu nesta quinta-feira (8) que ele a renuncie à disputa nas eleições presidenciais de novembro nos Estados Unidos.

Tara Reade, 56 anos, acusa Biden, 77, de agredi-la sexualmente em um corredor no Congresso dos Estados Unidos em 1993, quando ele era senador e ela era sua funcionária.

Em seu primeiro depoimento na televisão desde que o ex-vice-presidente de Barack Obama negou essas alegações, na semana passada, Tara Reade pediu que ele parasse de concorrer à Casa Branca.

"Você quer que ele desista?", perguntou um jornalista à Reade. "Eu gostaria que ele fizesse isso, mas ele não fará", respondeu a ex-assessora, acrescentando que era "um pouco tarde" para Biden se desculpar.

Reade apoiou publicamente Bernie Sanders, um pré-candidato democrata que desistiu de disputar com Biden a indicação do Partido Democrata no início de abril, deixando o ex-vice-presidente como possível adversário de Donald Trump nas eleições de 3 de novembro.

Biden lidera as preferências dos americanos nas últimas pesquisas, beneficiando-se de fortes críticas que Trump recebeu por lidar com a crise desencadeada pela pandemia da COVID-19.