Autoridades dizem que dos 64 mortos em shopping da Sibéria, 41 eram crianças

Russian Ministry for Emergency Situations photo via AP

Moscou, 27 mar (EFE).- Das 64 pessoas mortas no incêndio no último domingo em um shopping da cidade de Kemerovo, na Sibéria, 41 são crianças, segundo as listas divulgadas nesta terça-feira pelo gabinete de crise organizado pelos familiares das vítimas, informaram veículos de imprensa locais.

Um grupo de cidadãos que visitou hoje o necrotério de Kemerovo confirmou os números de mortos divulgados pelas autoridades.

"Há uma lista de 64 falecidos. Examinamos os corpos, a julgar pelos seus tamanhos, havia cerca de 20 adultos e o resto eram crianças", disse um dos membros do grupo na concentração que acontece em frente à sede da administração regional de Kemerovo, segundo a agência "Interfax".

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, que no início da manhã depositou flores no local da tragédia, se reuniu com esse grupo de cidadãos no necrotério e prometeu que "todos os culpados serão punidos".

Em reunião com autoridades locais e federais transmitida ao vivo pela televisão, o líder foi informado das medidas de assistência aos familiares dos mortos e feridos, assim como dos primeiros avanços da investigação.

O presidente do Comitê de Instrução da Rússia (CIR), Alexcandr Bastrikin, afirmou que o incêndio teve início em uma praça de jogos infantis no quarto andar do shopping, de nome "Zimnaya Vishnia" (Cereja de Inverno).

"Há duas hipóteses: uma, um curto-circuito provocado por defeitos do sistema elétrico, e a outra - que acreditamos ser muito menos possível - é que alguém tenha acendido um fogo", disse.

Bastrikin afirmou que logo após o início do incêndio "a maior parte do pessoal (do shopping) fugiu, abandonando as crianças e seus pais".

"Os funcionários responsáveis pela segurança, de organizar a evacuação, foram primeiros em sair correndo", denunciou Bastrikin, acrescentando que entre os funcionários do shopping "praticamente não tiveram vítimas". EFE