Mulher agredida em restaurante de luxo de São Paulo mostra resultado de reconstrução do rosto

Milka Borges foi agredida no restaurante Lulia, em São Paulo

A corretora Milka Borges, agredida em janeiro no restaurante Lulia, localizado no Jockey Club, na Zona Sul de São Paulo, usou uma rede social para mostrar o resultado da reconstrução do rosto dela, desfigurado após o episódio de violência. Milka foi atacada pela modelo Fernanda Bonito, companheira de Rodrigo Lima, irmão do dono do estabelecimento. A corretora conta que a agressora, muito alterada, jogou um copo de vidro na direção dela após recusar permanecer em uma fila e iniciar uma discussão no banheiro.

Desde janeiro Milka realizou quatro cirurgias para reparar os danos na face. A corretora conta que já foi avisada pelos médicos que a cicatriz entre o lábio e o nariz deve permanecer e que ainda vai precisar realizar outros procedimentos. Quase sete meses após a agressão, ela ainda cobra por punição dos responsáveis e por ressarcimentos dos gasto que teve na recuperação e pelo prejuízo que sofreu durante o período que ficou sem trabalhar.

"Hoje tenho um novo rosto, carrego na minha cara um cicatriz, causada por uma pessoa descontrolada e desumana. Hoje tenho como propósito de vida, representar milhares de pessoas que sofreram e ainda sofrem, com injustiças como a que vivi! Infelizmente vivemos em um país corrupto no qual as leis, só funcionam para aqueles que não têm dinheiro. E hoje eu sei que Deus me deu uma nova oportunidade de viver, porém dessa vez com um propósito", afirma.

A agressão foi registrada na 34ª DP, no bairro Vila Sônia, onde um inquérito foi aberto para investigar o caso. Pouco depois do crime, em uma nota enviada à TV Globo, Fernanda admitiu a agressão e disse estar arrependida.

"Eu me desentendi com outras frequentadoras porque, sem querer e perceber, passei em sua frente na fila do banheiro, eu errei; disso nasceu uma discussão entre mim e duas moças, com uma delas ocorreu uma agressão mútua, sendo que ela tentou me imobilizar; escapei e para me defender, porque ela era bem maior que eu, joguei nela o primeiro objeto que vi pela frente. Sinceramente me arrependo do ocorrido, mesmo tendo eu também sofrido alguns ferimentos, eu não queria causar aquela lesão e o sofrimento dessa moça", dizia a nota.