Mulher do candidato à Presidência da França é denunciada (Justiça)

Penelope Fillon, esposa do candidato François Fillon, em Paris, em 27 de março de 2017

Penelope Fillon, esposa do candidato da direita nas eleições presidenciais francesas François Fillon, foi denunciada nesta terça-feira por cumplicidade no abuso de bens sociais no escândalo de supostos empregos fictícios que afetou a campanha do marido, informou uma fonte judicial.

François Fillon, de 63 anos, já tinha sido denunciado em 14 de março por desvio de recursos públicos pelo mesmo caso, que veio à tona em janeiro quando o semanário Le Canard Enchaîné revelou que Penelope Fillon havia recebido mais de 800.000 euros (870.000 dólares) de empregos supostamente fictícios, entre eles o de assistente parlamentar do marido.

Entre 1986 e 2013, Penelope Fillon, de 61 anos, cobrou 680.380 euros líquidos, o equivalente a 3.600 euros mensais em média, como assistente de seu marido ou de seu suplente na Assembleia Nacional, segundo o semanário.

Esta galesa, mãe de cinco filhos, tinha também um contrato com uma revista, La Revue des deux Mondes, cujo dono é amigo de seu marido. Sem nunca ter ido aos escritórios da publicação literária, ela recebeu um salário de 5.000 euros brutos entre maio de 2012 e dezembro de 2013, acumulando durante um período os dois empregos.

Os investigadores buscam determinar se Penelope Fillon, que sempre se apresentou em entrevistas como dona de casa, trabalhou efetivamente ou se os cargos que ocupou foram fantasmas.

Este novo golpe à campanha de Fillon ocorre a apenas quatro semanas das eleições presidenciais, que terá o primeiro turno realizado em 23 de abril.

As pesquisas de opinião agora situam o ex-primeiro-ministro de Nicolas Sarkozy (2007-2012), que realiza uma campanha baseada na honestidade e na transparência, no terceiro lugar nas intenções de voto, superado pela líder da extrema direita Marine Le Pen e o centrista Emmanuel Macron.