Polícia investiga mulher que disse ter 'carta branca' para realizar ofensas racistas em SP

·2 minuto de leitura
Mulher profere ofensas racistas no meio da rua na Zona Sul de São Paulo - Foto: Reprodução
Mulher profere ofensas racistas no meio da rua na Zona Sul de São Paulo - Foto: Reprodução

A Polícia Civil iniciou uma investigação contra uma mulher que ofendeu com insultos racistas um homem que passeava com o filho por uma rua do Jabaquara, na Zona Sul da cidade de São Paulo. A informação é do G1.

O episódio aconteceu no último fim de semana. Leandro Antônio Eusdacio Xavier, 39 anos, foi buscar o filho de 12 anos na casa da ex-esposa para passarem o final de semana juntos. Na volta, ele presenciou uma mulher realizando ataques racistas contra pessoas na rua e resolveu filmar a cena.

Ao começar a gravar, Leandro diz a mulher “vai, continua xingando preto", ao que ela responde: “É preto, macaco, e aí? Preto, macaco, chimpanzé. Posta que eu vou te processar e pegar dinheiro. Xingo o quanto quiser, tenho carta branca. Preto, macaco, chimpanzé, orangotango. Vai, posta".

Leia também

Apesar de demonstrar tranquilidade diante das agressões da mulher, Leandro conta que a cena presenciada influenciou no seu dia a dia.

"Eu não consegui ver o vídeo até hoje. Não dormi direito, fiquei pensando nisso. O que mais me dói é que meu filho estava comigo. Ele é um moleque sossegado, talvez seja só uma preocupação minha, mas não sei como fica a cabeça dele. Depois conversei com ele e disse que o pai tomaria uma providência", contou ao G1.

Leandro registrou um boletim de ocorrência por injúria e ressaltou a importância de não se calar diante de ataques racistas.

"Em pleno século 20 a pessoa falar daquela forma, como se você não fosse nada? O que ela fez não pode se repetir, e se a gente ficar calado as pessoas continuam fazendo isso", continuou Leandro, que é auxiliar de serviços gerais em um edifício no bairro da Saúde.

O uso de palavra depreciativa referente a raça e cor com a intenção de ofender a honra da vítima é um crime de injúria racial, conforme o artigo 140 do Código Penal, que estabelece pena de reclusão de um a três anos.

Há também o crime de racismo, previsto na Lei n. 7.716/1989, e aplicado quando a ofensa discriminatória se dirige a um grupo. O crime prevê de três a cinco anos de reclusão.

Depois que Leandro publicou o vídeo nas redes sociais, outros relatos de pessoas do bairro sobre a mesma mulher surgiram.