Mulher de 'Chapo' Guzmán irá se declarar culpada nos EUA

·2 minuto de leitura
(2019) Emma Coronel durante o julgamento por narcotráfico do ex-chefe do cartel de Sinaloa, em Nova York

Emma Coronel, mulher do ex-chefe do cartel de Sinaloa Chapo Guzmán, irá se declarar culpada de ajudar o marido ante um tribunal federal de Washington, afirmou nesta terça-feira à AFP uma fonte próxima do caso.

Emma, 31, foi presa em um aeroporto internacional próximo da capital americana em fevereiro, por suspeita de envolvimento nos negócios de narcotráfico do marido e de ter tentado ajudá-lo a escapar da prisão no México. Ela está detida desde então.

Seu marido, Joaquín "Chapo" Guzmán, 64, considerado o mais poderoso traficante de drogas do mundo até ser extraditado do México para os Estados Unidos, em 2017, foi condenado à prisão perpétua em julho de 2019, pelo envio de toneladas de drogas aos Estados Unidos ao longo de 25 anos. Chapo cumpre pena na prisão federal de segurança máxima ADX, em Florence, Colorado.

A informação foi divulgada inicialmente pelo "New York Times". O jornal antecipou que a confissão de culpa será feita na quinta-feira de manhã e não exige em troca a colaboração de Emma com a Justiça americana para revelar detalhes dos negócios do marido.

A ex-rainha da beleza, mãe de gêmeas, foi acusada em um tribunal de Washington de conspiração para distribuir nos Estados Unidos um quilo ou mais de heroína, cinco quilos ou mais de cocaína, uma tonelada ou mais de maconha e 500 gramas ou mais de metanfetamina. Além disso, é acusada de colaboração em dois planos para ajudar Guzmán a escapar de prisões mexicanas.

Emma enfrenta uma pena mínima de 10 anos e máxima de prisão perpétua, mas a confissão de culpa pode reduzir sua passagem pela prisão. Durante o julgamento histórico de Chapo em Nova York, em que ela esteve presente no tribunal, o ex-chefe de uma prisão mexicana Dámaso López Núñez, que, mais tarde, trabalhou para Chapo e depois colaborou com a promotoria, contou como Emma ajudou o marido a fugir da prisão Altiplano, em 2015, em uma motocicleta, por um túnel de 1,5 km, e a planejar uma segunda fuga um ano depois.

Mais uma vez, os promotores revelaram mensagens de texto nas quais Chapo pedia a Emma que escondesse suas armas antes de uma operação policial. A acusação também divulgou um telefonema interceptado entre Emma e Chapo, no qual ela passou o telefone para seu pai, Inés Coronel Barreras, membro do cartel de Sinaloa, para que Chapo o aconselhasse sobre uma travessia de drogas pela fronteira com os Estados Unidos.

pmh-lbc/ lda/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos