Mulher de 54 anos substitui filha que nasceu sem útero e está grávida com o próprio neto na barriga

·2 min de leitura
Mãe leva o neto na barriga - Foto: Arquivo Pessoal
Mãe leva o neto na barriga - Foto: Arquivo Pessoal
  • Mulher de 54 anos está grávida de 30 semanas, com o neto na barriga

  • Sua filha, Meagan, não pode engravidar por não ter útero

  • Foram três tentativas frustradas de inseminação artificial, até que a gravidez acontecesse

Uma mulher de 54 anos não poupou esforços para tornar real o sonho de sua filha de também ser mãe. Mesmo com idade já avançada e correndo riscos de saúde, Maree Arnold engravidou mais uma vez para dar um filho a Meagan White.

O caso foi relatado nesta sexta-feira pelo jornal Daily Mirror. A australiana Maree explicou que sua filha, Meagan, foi diagnosticada aos 17 anos com uma síndrome rara, de Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser, o que significa que ela nasceu sem útero e é incapaz de engravidar.

Hoje aos 28 anos, Meagan temeu que o sonho de ser mãe nunca se realizaria após uma mulher canadense, que serviria como barriga de aluguel para ela e o marido, perder o bebê 21ª semana de gravidez em março do ano passado.

“Todo mundo ficou com coração partido, e depois disso eu estava desistindo. Então, com o começo da pandemia, viagens para outros países foram proibidas. Tudo parecia impossível”, lembrou Meagan.

Mãe se candidata

Maree recorda de ter ficado desolada com a perda do neto e nunca imaginava que poderia servir como “substituta” para a gravidez da filha. Após muita pesquisa, consultas médicas e psicológicas e trâmites legais, a mulher decidiu, aos 54 anos, se candidatar.

Maree já estava na menopausa e, portanto, teve de tomar remédios para reverter o processo e preparar o corpo para a gravidez, que seria realizada por meio de inseminação artificial.

Maree e a então bebê Meagan - Foto: Arquivo Pessoal
Maree e a então bebê Meagan - Foto: Arquivo Pessoal

Após três tentativas frustradas de transferências de embriões, a quarta foi um sucesso. Atualmente, Maree está de 30 semanas e, mesmo após 22 anos de sua última gravidez, disse estar se sentindo bem por proporcionar esse sonho à filha.

“É uma experiência muito especial para mim, estou nos céus por fazer isso por minha filha. Acho que há muitas formas de se ficar grávida hoje em dia, essa foi apenas outra opção. Nós realmente queremos mostrar para as pessoas que isso é possível. E mal posso esperar para conhecer meu neto”, comentou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos