Mulher denuncia vereador por mensagens racistas contra filha de 2 anos: “Pretinha feia e fedida”

·2 min de leitura
Mulher expôs conversa que teria mantido com vereador - Foto: Arquivo Pessoal
Mulher expôs conversa que teria mantido com vereador - Foto: Arquivo Pessoal
  • Carolaine Vilela denunciou o vereador Gercimar de Mattos por ofensas racistas contra sua filha

  • Nas mensagens, o político teria chamado a garota de "pretinha feia e fedida"

  • A mulher alega que passou a ser ameaçada após expor as mensagens

Uma mulher denunciou um vereador da cidade de Planalto, no interior de São Paulo, por mensagens enviadas a ela com ofensas raciais contra sua filha, de apenas 2 anos. Entre os ataques, o político teria chamado a criança de “pretinha feia e fedida”.

A atendente Carolaine Vilela contou à TV Tem, afiliada da Globo na região, que os insultos aconteceram depois que ela publicou nas redes sociais uma foto da menina ao lado da filha do vereador Gercimar Maximiliano de Mattos (Solidariedade), uma vez que é amiga da ex-esposa dele.

Carolaine compartilhou prints de uma conversa que teria mantido com Gercimar, na qual o político afirma: “Não quero sua pretinha feia e fedida com a minha filha”. Ele ainda diz: “Com a minha filha, eu não quero esse tipo de gente”.

Questionado sobre o teor das mensagens pela atendente, o político rebate: “Quem é você aqui em Planalto? Você não é ninguém. Eu sou vereador, eu tenho respeito”.

Carolaine, então, promete apresentar a conversa na delegacia, ao que Gercimar supostamente responde com novas ofensas e uma ameaça.

“Minha filha não entende o que é certo ou errado, mas se vocês insistirem nisso, é essa sua neguinha que vai pagar o preço. Passa por mim e faz graça, dá risada… Eu sou homem de bem, de respeito, mas pra defender minha filha eu mato quem precisar.”

Novas ameaças e rotina alterada

Carolaine publicou o print nas redes sociais e, segundo ela, passou a receber ameaças de morte depois disso. À TV Tem, revelou que precisou mudar de endereço e parou de levar a filha à creche.

“Vou sozinha para o serviço, mas meus patrões precisam me trazer por conta do medo. Não consigo me sentir segura, porque tenho certeza da impunidade. Eu gostaria que isso não ficasse impune. Não vou deixar ficar impune. O que ele fez com a minha filha não se faz com ninguém. Chorei tanto na semana que aconteceu”, contou.

A atendente lembrou da sensação ao ler as mensagens. “Não tive reação na hora. Fiquei em choque. Continuei respondendo, e ele fez mais ofensas contra a menina. Isso me despedaçou. Por mais que minha filha seja negra, eu não esperava que isso aconteceria agora. Vai acontecer um dia, mas não estava esperando. Foi muito cruel. Ela não consegue se defender. É uma criança.”

Vereador nega ofensas

Gercimar garantiu que nunca sequer conversou com Carolaine e negou qualquer ofensa ou ameaça. “Jamais, nunca na vida, eu teria coragem de ofender um adulto dessa forma, que dirá uma criança."

Carolaine registrou boletim de ocorrência e protocolou uma denúncia na Câmara de Planalto, que decidiu por unanimidade criar uma Comissão Processante para investigar a quebra de decoro do vereador.

A Polícia de São José do Rio Preto-SP instaurou inquérito e investiga se Gercimar cometeu crime de injúria racial. Carolaine já prestou depoimento, enquanto o político ainda seria chamado para falar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos