Mulher diz ter sido abusada aos 9 anos de idade por fundador das Casas Bahia

·2 minuto de leitura
Imagem ilustrativa. (Foto: Getty Images)
Imagem ilustrativa. (Foto: Getty Images)
  • Vítima afirma ter sido abusada por Samuel Klein aos 9 anos de idade.

  • Depoimento faz parte de novas denúncias feitas à Agência Pública.

  • Segundo ela, abuso ocorreu na cidade de Santos.

Uma mulher de 43 anos que não quis ter o nome revelado afirmou em entrevista à Agência Pública que foi abusada sexualmente em 1987, quando tinha apenas 9 anos de idade, pelo fundador das Casas Bahia, Samuel Klein, em sua casa de veraneio, na cidade de Santos, litoral de São Paulo.

Leia também:

A revelação faz parte de uma nova série de denúncias contra Klein que conta com fotografias que mostram o empresário, morto em 2014, cercado de mulheres e menores de idade.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

As vítimas afirmam que “orgias” envolvendo até 30 menores ocorriam de forma recorrente na sede da empresa, em São Caetano do Sul. Haveria até uma espécie de loft no andar da presidência, junto ao seu escritório e salas de reunião, para essa finalidade.

As vítimas afirmam que Klein as atraía oferecendo dinheiro, entre R$500 e R$1.000, e então praticava seus abusos. “Quanto mais velho, mais dinheiro ele tava dando. Aí atraia muito mais gente”, afirma uma delas.

Instituto suspende atividades após denúncias de exploração sexual de menores

Em maio, o Instituto Samuel Klein, mantido por netos do fundador das Casas Bahia, anunciou a suspensão de suas atividades, no contexto de uma “profunda reflexão e consequentemente transformação e ressignificação” dos seus objetivos. As informações são de reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

A suspensão vem após as denúncias de que o fundador das Casas Bahia mantinha um esquema de aliciamento de menores e exploração sexual, tanto nas unidades da rede de varejo quanto em imóveis particulares.

O filho de Samuel Klein, Saul Klein, também é acusado por mulheres de ter mantido uma rede de exploração sexual que envolvia até tortura.

O Instituto Samuel Klein, que trabalhava com projetos de educação e primeira infância, publicou um comunicado comentando a decisão de suspender suas atividades.

“As acusações são de extrema gravidade, nos chocaram e geraram profunda perplexidade”, informa comunicado reproduzido pela Folha. “Ressaltamos desde logo que não iremos contemporizar com qualquer atitude, de quem quer que seja, que não se alinhe com os nossos valores de ética e integridade.”

O Instituto foi criado em 2014, mesmo ano da morte de Klein, aos 91 anos.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos