Mulher é agredida no metrô do Rio ao pedir para passageira usar máscara

·2 minuto de leitura
Mulher é agredida por passageira no metrô do Rio de Janeiro ao pedir para ela usar máscara contra o coronavírus
Mulher é agredida por passageira no metrô do Rio de Janeiro ao pedir para ela usar máscara contra o coronavírus
  • Uma mulher foi agredida dentro do metrô no Rio de Janeiro, ao pedir que uma passageira usasse máscara contra o corornavírus

  • A agressora, que carregava uma bandeira do Brasil, recusou o item de proteção e hostilizou a vítima

  • O caso ocorreu no dia de atos a favor do presidente Jair Bolsonaro

Uma passageira do metrô do Rio de Janeiro foi agredida por uma passageira ao pedir que ela usasse máscara contra o coronavírus dentro do trem, no último sábado (1º), dia de atos a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A agressora sem o item de proteção carregava uma bandeira do Brasil.

"Deparei-me com um grupo de pessoas com camisa do Brasil, bandeiras e apetrechos. Fiquei incomodada com o barulho que faziam e resolvi mudar de vagão. Quando passei pelo grupo, vi que uma mulher estava sem máscara e pedi que ela colocasse", afirmou a vítima, Maria Clara Pedroso, em entrevista ao portal G1.

Leia também

A mulher com a bandeira do Brasil recusou a máscara e, segundo Maria Clara, disse que era um problema dela. Quando a passageira se encaminhava para pedir o auxílio de seguranças, teve o cabelo puxado e reagiu.

Um vídeo que mostra o momento viralizou nas redes sociais. "Eu fui xingada pelo grupo durante todo o tempo e falei que só sairia dali com ela para a delegacia. No momento que a porta abriu eu gritei até os seguranças aparecerem. Um rapaz que filmou tudo", declarou.

Ana Clara foi orientada a ficar fora do vagão pelos seguranças do Metrô e disse que a agressora conseguiu fugir.

O Metrô Rio, em nota, disse que "a segurança foi acionada para conter uma discussão gerada por divergências políticas entre duas clientes dentro de uma composição da Linha 1". A concessionária afirmou que uma das passageiras envolvida saiu do vagão, deixando o sistema, e a outra recebeu atendimento e relatou o ocorrido.

"Ela contou ter sido agredida e confirmou a motivação política. Os agentes da concessionária ofereceram assistência à cliente e orientaram o encaminhamento à delegacia para registro de ocorrência", concluiu o Metrô.

No Twitter, o Metrô Rio foi cobrada por seguidores sobre o ato violento dentro do trem: "Sobre a suposta agressão, vamos disponibilizar as imagens internas para as autoridades policiais tão logo forem solicitadas".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos