Mulher é assassinada com golpes de pia pelo marido no DF

Mulher foi assassinada, e marido acabou preso - Foto: Reprodução/TV Globo
Mulher foi assassinada, e marido acabou preso - Foto: Reprodução/TV Globo
  • Mulher foi assassinada pelo próprio marido dentro de casa no Distrito Federal

  • Segundo a polícia, a vítima foi agredida repetidas vezes com uma pia na residência do casal

  • Suspeito tentou fugir, apedrejou testemunhas, mas foi detido pela polícia momentos mais tarde

Uma mulher foi assassinada pelo próprio marido no último sábado (17) no Itapoã, Distrito Federal. O crime foi cometido na casa da vítima, em frente aos filhos.

De acordo com informações do g1, a vítima foi identificada como Patrícia Rufino. Ela e o marido estavam juntos a 19 anos e tinham quatro filhos. Dois deles, de 9 e 11 anos, presenciaram o episódio.

A Polícia Civil explicou que o criminoso utilizou uma pia, que estava solto, para espancar a mulher. Patrícia foi atingida repetidas vezes na cabeça e não resistiu aos ferimentos.

Os relatos dão conta de que testemunhas tentaram deter o suspeito, mas foram atingidas com pedradas. Somente momentos mais tarde, a Polícia Militar conseguiu prendê-lo em flagrante.

Os filhos do casal que estavam em casa saíram correndo ao verem a agressão e pediram ajuda aos vizinhos. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas encontrou a vítima já sem vida.

Suposta traição motivou crime

Após ser detido, o criminoso explicou, em depoimento à polícia, que agiu após descobriu uma suposta traição da esposa.

O delegado responsável pelo caso, Ricardo Viana, da 6ª DP (Paranoá) relatou que a mulher já havia registrado duas ocorrências contra o marido por violência doméstica, em 2018 e 2019.

O que é feminicídio?

Segundo o Código Penal Brasileiro, o feminicídio é o homicídio praticado contra a mulher pelo fato de ela ser uma figura feminina, ou nos casos de violência doméstica. Fatores como misoginia, menosprezo pela condição feminina, discriminação de gênero e violência sexual são os principais indícios do crime.

A lei do feminicídio (lei 13.104/15) não enquadra, porém, o crime a qualquer assassinato de mulheres.

Variações do feminicídio

Violência doméstica ou familiar: A lei se enquadra nos casos em que o criminoso é uma pessoa da própria família ou já manteve uma relação com a vítima. Esta é a variação mais comum no Brasil.

Menosprezo ou discriminação contra a mulher: A lei também pode ser aplicada quando o assassinato é resultante do preconceito de gênero, que pode ser manifestado pela objetificação feminina e pela misoginia.

Pena prevista para o crime

Vale ressaltar, ainda que o feminicídio é visto pelo Código Penal como uma forma qualificada de homicídio. Sendo assim, a pessoa que cometer o crime está sujeita a pegar de 12 a 30 anos de reclusão.