Mulher é condenada a 17 anos de prisão por matar marido com veneno de rato no Guarujá

Encontrado na casa, chumbinho é um veneno ilegal contra ratos, mas que ainda segue sendo comercializado popularmente. (Foto: Getty Images)
Chumbinho é um veneno ilegal contra ratos, mas que ainda segue sendo comercializado popularmente. (Foto: Getty Images)

Uma mulher de 41 anos foi condenada a 17 anos de prisão por matar o marido com veneno de rato, em Guarujá, litoral de São Paulo. Márcia Lígia dos Santos cometeu na tentativa de ficar com a herança e seguro de vida de José Jaime Martinez Garcia, que morreu em 2005 aos 49 anos.

Ela foi condenada por homicídio triplamente qualificado e por tentativa de estelionato. A pena deve ser cumprida, inicialmente, em regime fechado.

Na decisão, o juiz anotou que Márcia pode recorrer em liberdade, mas que não terá direito à conversão em penas alternativas. O magistrado considerou que outra forma de penalidade não seja suficiente para punir a agressão violenta contra a vida do marido. As informações são do G1.

O crime

De acordo com a denúncia, Marcia Ligia teria combinado o crime com outras pessoas e envenenado José Jaime por ingestão. Ela também teria postergado o socorro médico quando o então marido começou a ficar doente. A suspeita foi levantada pela seguradora alguns meses depois do falecimento de José Jaime, que abriu uma sindicância. Os advogados da família formularam pedidos judiciais e o corpo da vítima foi exumado para perícia médico-forense e exame toxicológico. Os resultados provaram que havia uma quantidade considerável de chumbinho presente no trato digestivo de José Jaime.

Prisão

O inquérito policial foi registrado em novembro de 2010 e a prisão preventiva de Márcia Lígia foi requerida em abril do ano seguinte. Em novembro do mesmo ano, porém, ela foi posta em liberdade. O pedido de julgamento ocorreu em 2015, mas foi adiado diversas vezes devido à pandemia até que o júri aconteceu na última quinta-feira (22).