Mulher e menor são espancados após assalto a casal de idosos em Guapimirim

·2 minuto de leitura

Um menor de 16 anos e uma mulher, de 27, que estava cumprindo prisão domiciliar, foram espancados e amarrados por pessoas não identificadas horas após roubar um casal de idosos , em Guapimirim, na Baixada Fluminense. Eles teriam sido descobertos por moradores quando tentavam vender um celular e uma televisão roubados. Durante o assalto, um idoso de 83 e uma idosa, de 80, foram agredidos com golpes de cavadeira na cabeça e ficaram desacordados.

As duas vítimas foram medicadas e liberadas. Os suspeitos foram espancados, na segunda-feira, horas após o assalto. Encontrados ainda amarrados no leito de uma linha férrea, na altura do Bairro Parada Modelo, o menor e a mulher foram levados para um hospital. Localizados por equipes da 67ªDP (Guapimirim) e do Destacamento de Policiamento Ostensivo de Guapimirim, nesta quarta-feira, os dois acabaram sendo detidos.

O assalto ocorreu na noite do último domingo. De Acordo com o delegado Antônio Silvino, da 67ªDP, a mulher bateu na porta do casal de idosos, acompanhada do menor. Pensando se tratar de uma sobrinha, a idosa foi atender ao chamado e acabou sendo atacada pela mulher que tentou estrangular a vítima.

Em seguida, o adolescente atacou os idosos com pancadas na cabeça, usando para isso uma cavadeira. Pensando que as vítimas estavam mortas, o casal fugiu levando uma televisão de 43 polegadas, um celular e um tablet.

—O adolescente conhecia os idosos . Ele e a mulher agrediram os idosos com a intenção de matar as vítimas para não serem reconhecidos — disse o delegado.

Um parente encontrou os idosos desacordados e chamou uma ambulância do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Depois de passarem por dois hospitais, eles foram liberados. A polícia trabalha com a hipótese de que os suspeitos tenham sido descobertos por moradores ao tentar vender o produto do roubo para comprar drogas.

Ao serem espancados, o menor teve uma perna quebrada e a mulher sofreu uma luxação no braço. Os dois prestaram depoimento e disseram que não sabem quem são os homens responsáveis pela agressão que sofreram. Segundo a polícia, a suspeita cumpria prisão domiciliar por crime de tráfico de drogas. Ela acabou tendo uma nova prisão (temporária) de 30 dias decretada pela Justiça. O adolescente que foi apreendido também já havia se envolvido em outros crimes.

Em março, ele foi detido após um assalto e passou 25 dias internado em uma instituição de menores, sendo colocado em liberdade em seguida. De acordo com a polícia, a suspeita responderá por latrocínio tentado e, em caso de condenação, estará sujeita a uma pena de até 20 anos de prisão. Já o adolescente responderá por fato análogo ao crime de tentativa de latrocínio e estará sujeito a uma internação em uma instituição socioeducativa por até três anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos