Mulher é morta tiros em casa no Rio; principal suspeito, namorado está foragido

Mulher foi morta dentro da própria casa - Foto: Getty Images
Mulher foi morta dentro da própria casa - Foto: Getty Images
  • Mulher foi morta a tiros na madrugada desta terça-feira

  • Ela estava em casa quando foi alvejada repetidas vezes

  • A irmã também estava no local e afirmou que o namorado da vítima cometeu o crime

Uma jovem de 24 anos foi assassinada a tiros na madrugada desta terça-feira (26), dentro da residência em que vivia com os dois filhos, no Rio de Janeiro. O namorado da vítima é o principal suspeito do crime.

De acordo com informações do g1, a irmã da jovem, que estava na casa no momento do assassinato mas não se feriu, informou que Sarah Pereira foi baleada por Queven da Silva e Silva.

Namorado da vítima, o rapaz tem 47 passagens pela polícia, por crimes como homicídio, roubo e tráfico, com mandados de prisão em aberto.

Segundo os relatos da irmã, Queven chegou à rua da residência já atirando. O rapaz, então, teria entrado no prédio onde Sarah vivia, subido ao apartamento e disparado contra a namorada.

Os dois filhos de Sarah, de 2 meses e 4 anos, estavam em outro cômodo do apartamento e não se feriram. A mãe e a irmã, que viviam com a jovem, também escaparam ilesas.

O Corpo de Bombeiros informou que foi acionado por volta das 4h35, por vizinhos que ouviram tiros na Rua Tadeu Kosciusko. Ao chegarem ao local, porém, encontraram a jovem já sem vida.

Criminoso está foragido

A Polícia Militar também atendeu a ocorrência, realizou perícia e conversou com vizinhos. A corporação encontrou 16 cápsulas de bala no apartamento.

Queven conseguiu escapar e continua foragido. Pessoas próximas a Sarah explicaram que o rapaz tem histórico de ser violento.

O que é feminicídio?

Segundo o Código Penal Brasileiro, o feminicídio é o homicídio praticado contra a mulher pelo fato de ela ser uma figura feminina, ou nos casos de violência doméstica. Fatores como misoginia, menosprezo pela condição feminina, discriminação de gênero e violência sexual são os principais indícios do crime.

A lei do feminicídio (lei 13.104/15) não enquadra, porém, o crime a qualquer assassinato de mulheres.

Variações do feminicídio

Violência doméstica ou familiar: A lei se enquadra nos casos em que o criminoso é uma pessoa da própria família ou já manteve uma relação com a vítima. Esta é a variação mais comum no Brasil.

Menosprezo ou discriminação contra a mulher: A lei também pode ser aplicada quando o assassitado é resultante do preconceito de gênero, que pode ser manifestado pela objetificação feminina e pela misoginia.

Pena prevista para o crime

Vale ressaltar, ainda que o feminicídio é visto pelo Código Penal como uma forma qualificada de homicídio. Sendo assim, a pessoa que cometer o crime está sujeita a pegar de 12 a 30 anos de reclusão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos