Mulher é presa por ofensa racista contra atendente que não lhe serviu cerveja no RS

Mulher foi presa após proferir ofensas racistas - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Mulher foi presa após proferir ofensas racistas - Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • Mulher foi presa depois de proferir ofensas raciais para um atendente negro em Santa Cruz do Sul-RS

  • Imagens de uma câmera de segurança registraram o momento do crime

  • Ela chegou a pedir socorro quando era levada pelos policiais, mas ouviu apenas aplausos

Uma mulher foi presa na última sexta-feira (2) por ofender racialmente um atendente negro de um bar na cidade de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul.

O circuito interno de segurança flagrou o momento das ofensas. A mulher de 58 anos, visivelmente embriagada, entra no estabelecimento pedindo mais bebida.

Os atendentes avisam que não vão servi-la, justamente por ela já estar bastante alterada. Um deles, porém, passa a ser chamado de "negão" por ela.

"Ele é negão, eu sou branca", diz, entre ofensas. Ao ser alertada de que a polícia seria chamada, a mulher desafia: "Vai, aciona lá".

Mulher pediu "socorro"

Um segundo vídeo, desta vez registrado por uma testemunha, registrou o momento da prisão da suspeita. Exaltada, ela grita: "Socorro, eu estou sendo presa".

Apesar dos pedidos de socorro, a mulher ouviu apenas uma salva de palmas dos presentes, que denunciaram o episódio à polícia. "É isso aí, racista nojenta", afirma uma mulher.

Ao portal BHAZ, a Brigada Militar explicou que fez a prisão da mulher em flagrante após ser acionada. Ao chegarem ao bar, os oficiais presenciaram novas ofensas raciais proferidas por ela.

Qual a diferença entre racismo e injúria racial?

O crime de injúria racial está previsto no artigo 140, 3º parágrafo do Código Penal e prevê de 1 a 3 anos de reclusão, além de multa. Segundo o regulamento, injuriar corresponde a ofender alguém por conta de sua cor, etnia, religião, origem ou raça.

Já o racismo, previsto na Lei 7.716/1989, acontece quando um indivíduo agride uma pessoa ou coletivo, discriminando-os por conta de sua etnia. Sendo assim, o racismo dirige-se a um grupo completo de pessoas e englobam infrações mais amplas. Como exemplos pode-se citar o impedimento ao acesso às entradas sociais em edifícios, negar ou impedir que o indivíduo em questão consiga emprego etc.

Como posso denunciar estes crimes?

Para se proteger deste tipo de violência, a vítima pode denunciar presencialmente ou online.

Caso o crime esteja acontecendo em tempo real, o indivíduo pode chamar a polícia pelo 190. A entidade pode conter a agressão, e até mesmo levar o criminoso preso em flagrante.

Se o crime já tiver acontecido, vale procurar o posto policial mais próximo para registrar um boletim de ocorrência com o máximo de detalhes possíveis. Vale fornecer também nomes e contatos de quem testemunhou o acontecido.

Pela Internet

A vítima também pode denunciar os crimes de injúria racial e racismo por meio do site da Secretaria da Justiça e Cidadania, pelo Portal SP156 e pelo Safernet.

Por telefone

Já pelo telefone, é possível denunciar as infrações pelo Disque Direitos Humanos. Para isso, basta teclar o número 100.

Quem reside na cidade de São Paulo também pode apresentar a queixa pela Central 156.