Mulher envolvida com a milícia e acusada de quebrar braço de filho de testemunha é presa em Nova Iguaçu

·1 minuto de leitura

RIO — O desdobramento de uma investigação de apossamento irregular de terrenos e suas revendas em Nova Iguaçu, fez com que a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) prendesse, na manhã deste sábado, Samara Greice Souza Padin. Ela é acusada de integrar um grupo criminoso liderado pelo policial militar reformado Júlio Cesar dos Santos Marques, preso pela Draco na última segunda-feira. O grupo liderado por Marques se apossou ilegalmente de terrenos para revenda em sua própria imobiliária, a Mac Consultoria.

Segundo a Polícia Civil, quando Samara soube da prisão de Marques, ela espancou e quebrou o braço do filho do denunciante do crime. O policial reformado também foi acusado de intimidar testemunhas com o apoio de quipes do 20° BPM (Mesquita). Os presos ficarão à disposição da justiça e responderão na forma da lei de Organização Criminosa. Ainda estão sendo procurados outros integrantes do grupo, como Fernando Coelho Pandin e Yago Helio Souza Pandin. Os policiais militares que invadiram a residência da vítima usando viaturas oficiais não foram indiciados, mas foi expedido ofício à Corregedoria da Polícia Militar para continuidade de apuração do crime militar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos