Mulher finge pedir pizza, liga para PM e denuncia marido que a ameaçava com faca

·2 minuto de leitura
Faca utilizada pelo suspeito para ameaçar a mulher - Foto: Divulgação/PMDF
Faca utilizada pelo suspeito para ameaçar a mulher - Foto: Divulgação/PMDF
  • Mulher estava sendo agredida e ameaçada com uma faca pelo marido

  • Ela fingiu ligar para uma pizzaria e discou 190, alertando a PM sobre o ocorrido

  • A vítima explicou que as agressões começaram dois dias antes

Uma mulher conseguiu livrar-se das ameaças e agressões do próprio marido ao acionar a Polícia Militar disfarçadamente. O caso aconteceu na noite da última terça-feira (28) em Ceilândia, no Distrito Federal, e foi relatado pelo G1.

A vítima de 38 anos, que não teve a identidade revelada, estava sendo ameaçada com uma faca pelo companheiro. Em certo momento, ela disse que pediria uma pizza por delivery, mas, na verdade, ligou para o 190.

Leia também:

O policial que atendeu a ligação percebeu que havia algo estranho e entendeu que a mulher tentava fazer uma denúncia. Ele, então, ordenou que uma equipe fosse à casa da família checar o que estava acontecendo.

Ao chegar ao local, os agentes ouviram o irmão da vítima, que vive no mesmo lote, confirmar as ameaças. A PM entrou no imóvel, deteve o agressor e apreendeu a faca utilizada.

Polícia conseguiu deter o suspeito - Foto: Divulgação/PMDF
Polícia conseguiu deter o suspeito - Foto: Divulgação/PMDF

Em depoimento à polícia, a mulher contou que relaciona-se com o agressor há dez anos e tem dois filhos com ele, um de 2 e outro de 4 anos.

Agressões começaram dois dias antes

A vítima também relatou que as ameaças começaram ainda no domingo, após o casal discutir. O suspeito teria a agredido com tapas, puxões de cabelo e xingamentos na ocasião.

Dois dias depois, o homem mostrou-se embriagado e retomou o comportamento agressivo, segundo a mulher. Ele foi à cozinha, pegou uma faca e passou a ameaçá-la, dizendo que a mataria.

O suspeito foi preso em flagrante e levado para a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher II (DEAM II), em Ceilândia, onde permanece detido. Já a vítima foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) e passou por exames que confirmaram as agressões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos