Mulher gasta 'sem querer' mais de R$ 5 mil em frutas na feira

·2 min de leitura
Moradora de Belo Horizonte relatou, com bom humor, o caso das frutas nas redes sociais
Moradora de Belo Horizonte relatou, com bom humor, o caso das frutas nas redes sociais
  • Mulher gasta mais de R$ 5 mil em frutas sem perceber;

  • Cindy Alves, criadora de conteúdo, se animou com a variedade de produtos em uma feira de BH;

  • Ela só percebeu o valor gasto depois de pagar e teve que pedir estorno ao comerciante.

Uma moradora de Belo Horizonte, Minas Gerais, se empolgou mais do que devia ao visitar uma feira realizada em um mercado da cidade no último domingo (24). Surpresa com a variedade, ela gastou, sem perceber, mais de R$ 5 mil em frutas.

O caso aconteceu com a criadora de conteúdo Cindy Alves, que deu todos os detalhes da situação nos stories do Instagram, plataforma em que expõe seu trabalho com harmonização facial.

“A gente parou em uma barraquinha de fruta e o cara começou a dar frutas para experimentar, uma melhor que a outra. Experimentei e falei: quero uma dúzia dessa, dessa, quatro melões deste. Paguei sem olhar e, depois que paguei, olhei e vi R$ 5.000”, comentou, aos risos.

Depois que Cindy se deu conta de quanto gastou, achou que o vendedor havia passado o valor errado – o que ele alegou não ter feito. Ela, então pediu o estorno.

No início, o feirante não quis cancelar a compra, mas resolveu ajudá-la e retornou parte da quantia via Pix. Ela, então, devolveu algumas frutas ao estande.

Sem saber se caiu em um golpe, a criadora de conteúdo fez piada na rede social ao mostrar todas as frutas que sobraram. “Estou vendendo aqui pra quem quiser. Uma pitaia, R$ 300”.

Golpe da fruta

Em São Paulo, consumidores denunciaram os altos preços cobrados pelas frutas no Mercado Municipal, popularmente chamado de Mercadão. Em algumas barracas, os clientes eram coagidos a adquirir os produtos sem que soubessem quanto estavam pagando pelo quilo.

O Procon-SP realizou vistorias e autuou barracas com práticas fraudulentas. O caso segue em investigação, mas comerciantes já relatam prejuízos e lamentam a má fama provocada por alguns dos vários estabelecimentos presentes no Mercadão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos