Mulher mais procurada da Inglaterra é condenada a oito anos de prisão por fraude fiscal

A britânica Sarah Panitzke, de 48 anos, foi condenada a oito anos de prisão por fraude em um esquema que movimento cerca de £ 1 bilhão de libras, nesta sexta-feira.

Buscas na Amazônia: PF encontra 'material orgânico aparentemente humano' em área de busca por indigenista e jornalista inglês

Desaparecida desde 1981: Filha de casal assassinado nos EUA é encontrada a salvo após quatro décadas

Guerra na Ucrânia: Mariupol corre risco de surto de cólera, alerta Reino Unido

A National Crime Agency (NCA), agência de combate ao crime do Reino Unido, disse que a mulher ficou por quase uma década no topo de sua lista de mais procuradas.

Sarah Panitzke já havia ido a julgamento em maio de 2013, mas conseguiu fugir do país antes do fim do processo. Ela passou os últimos nove anos morando na Espanha, mas acabou presa em fevereiro deste ano pela polícia espanhola.

Mesmo em sua ausência, o juiz do caso a condenou a oito anos de prisão. Nesta sexta-feira, ela voltou ao tribunal em Londres e começou a cumprir finalmente a sentença.

Sarah fazia parte de uma quadrilha especializada em um esquema que envolvia a compra e contrabando de celulares vindos do exterior para o Reino Unido, sem o pagamento dos impostos devidos.

Ao todo, 17 pessoas envolvidas no esquema foram condenadas. As autoridades afirmam que o grupo movimentou somas no valor de até £ 1 bilhão de libras. O dinheiro era lavado em contas em paraísos fiscais e em países como Portugal, Dubai, Hong Kong e Andorra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos