Mulher Melão comemora retorno ao carnaval após 5 anos e estreia na Mangueira como musa

Em 2008, quando desfilou pela primeira vez na Marquês de Sapucaí, como destaque numa alegoria da Vila Isabel, o sonho de Renata Frisson era sambar no chão. O desejo logo se concretizou, e Mulher Melão ainda teve a chance de sair como rainha de bateria no carnaval carioca. Mas ainda faltava desfilar por uma escola. Não falta mais.

Coordenador de musas da Mangueira, o sambista Cleyton Marques fez o convite e Melão se junta agora ao time de beldades da Verde e Rosa. Na tarde da última quinta-feira, ela esteve no barracão da agremiação, na Cidade do Samba, e recebeu seu figurino das mãos dos carnavalescos Annik Salmon e Guilherme Estevão.

“Mangueira é Mangueira! Um sonho realizado e, com toda a certeza, esse será o melhor dos meus carnavais”, celebrou a musa.

Com passagens pela Grande Rio, Império Serrano, Paraíso do Tuiuti, Inocentes de Belford Roxo, Lins Imperial, entre outras, Melão chega à Verde e Rosa após um intervalo de cinco anos sem desfilar.

A Mangueira levará para a Avenida o enredo “As Áfricas que a Bahia canta”.