Mulher morre, tem corpo coberto e mercado segue funcionando normalmente

·2 minuto de leitura
Imagem: Michel Silva/ Yahoo Notícias

Uma cliente negra morreu após passar mal dentro do supermercado Supermarket nesta terça-feira (13), em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro. A vítima foi identificada como Evangelista Deamantina Argentina, de 60 anos. 

A vítima começou a sentir um mal-estar às 14h30 no setor de frutas e legumes do supermercado. Outros clientes perceberam o estado de saúde da idosa e pediram ajuda a funcionários da Clínica da Família Rinaldo de Lamare, que fica há poucos metros do local. 

Evangelista Argentina recebeu os primeiros socorros ainda com vida por pessoas que estavam no interior do supermercado antes da chegada do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Os bombeiros fizeram massagem cardíaca, entretanto a idosa não resistiu. 

De acordo com a assessoria de imprensa do Supermarket, a loja foi fechada após a confirmação de falecimento da cliente. “Fechamos a loja de imediato, porém no momento a loja estava cheia e precisávamos liberar os clientes que estavam finalizando suas compras.”, informou em nota.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o rabecão foi acionado às 16h34 para remover o corpo da idosa para o IML. 

Vídeos e fotos que circulam nas redes sociais mostram o corpo coberto com um pano vermelho e cercado por 6 seis carrinhos de compras enquanto clientes continuam fazendo compras. Funcionários do supermercado que não se identificaram disseram que a cliente morreu meia hora após se sentir mal e não fecharam a loja por determinações superiores.

Evangelista D. Argentina era natural da Bahia e morava na favela da Rocinha com o marido. Sem saber da morte da esposa, ele foi pego de surpresa por vizinhos quando voltava do trabalho às 19h. O Supermarket disse que está prestando assistência à família na realização do funeral. Não há informações sobre o local e horário do sepultamento.

Mercado não tinha equipe de Bombeiros no local

De acordo com funcionários que preferiram não se identificar por medo de represália, afirmaram que o Supermarket não mantém equipe de bombeiros civis no lugar. O local pertence ao grupo Mercado Torre, que possui outras 23 unidades no estado do Rio de Janeiro

O Governador do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Lei nº 9.112/2020, determina a obrigatoriedade da manutenção da brigada profissional composta por Bombeiro Civil, no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, para os estabelecimentos mencionados abaixo:

  • Hipermercados;

  • Shopping centers;

  • Casas de shows e espetáculos;

  • Grandes lojas de departamentos;

  • Campus universitários;

  • Edifícios públicos ou privados que abriguem acervo de valor histórico para exposição ou arquivo; e

  • Qualquer estabelecimento e demais edificações ou plantas cuja ocupação ou uso exija a presença de Bombeiro Civil, conforme legislação estadual de proteção contra incêndios do Corpo de Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro;

  • Hospitais públicos ou privados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos