Mulher não aceita usar máscara corretamente dentro de ônibus em Mato Grosso do Sul e discute: 'Não vou botar'

Louise Queiroga
·2 minuto de leitura

Passageiros de um coletivo em Campo Grande (MS) tiveram sua viagem atrasada nesta quarta-feira, dia 28, por uma mulher que se recusou a colocar a máscara corretamente. Em vídeo postado em rede social, é possível escutar alguém sugerindo que chamassem a polícia para interromper aquela situação, deixando-os prosseguir o trajeto, e depois a voz de um homem pedindo que ela atendesse à medida, determinada em decreto municipal por causa da pandemia.

"Bora, moça! Você vai atrasar todo mundo", diz a pessoa.

A mulher, porém, se mantém firme em sua posição e afirma que não vai usar máscara.

"Não vou botar", exclama, enquanto também fala para algumas pessoas que se aproximaram não mexerem em seus pertences e não encostarem nela.

A passageira ainda xinga quem reforçava a necessidade de cobrir o rosto no interior do ônibus.

"Seu vagabundo", diz, completando com: "Vai trabalhar. Eu ponho a máscara se eu quiser. Não sou obrigada não".

No entanto, contrariando sua vontade, a prefeitura de Campo Grande destaca que as medidas de biosegurança devem ser mantidas mesmo para quem já tomou a vacina contra Covid-19. De acordo com relatos dos passageiros a portais de notícias da região, a mulher acabou saindo do ônibus não muito tempo depois da confusão registrada no vídeo.

"O distanciamento social, o uso de máscaras de acordo com a recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a higienização das mãos e dos ambientes domésticos de trabalho precisam ser rigorosamente mantidos. Assim como o isolamento, em caso de manifestação dos sintomas ou da própria doença", afirma o governo municipal em nota.

Além disso, o decreto 14.354, de 18 de junho de 2020, determina "a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial em todos os espaços fechados públicos ou privados de acesso ao público em geral no âmbito do município de Campo Grande, durante a emergência da Covid-19", incluindo "equipamentos de transporte coletivo". A capital do estado registrou, até quarta-feira, 94.055 casos confirmados de infecções por coronavírus e 2.441 mortes por causa dele.

Com relação ao governo do MS, há medidas para o transporte rodoviário intermunicipal, que determinam ocupação máxima da metade da quantidade de lugares nos ônibus e micro-ônibus e adoção de todas as medidas de higienização e uso de máscara.