Mulher que acusa Daniel Alves não deseja receber indenização e dá detalhes de agressão sexual em depoimento

A mulher espanhola de 23 anos que acusa Daniel Alves de agressão sexual se recusou a receber qualquer tipo de indenização caso o jogador for condenado. De acordo com a publicação do 'El País', ela afirmou em depoimento à polícia que não quer ganho financeiro, mas, sim, que a Justiça seja feita.

Os jornais "El País" e "El Mundo", de Madri, e "El Periódico" de Barcelona publicaram trechos do depoimento prestado à Justiça pela mulher. Nele há detalhes da acusação de agressão sexual contra Daniel Alves.

De acordo com a vítima, ela estava na boate Sutton, em Barcelona, quando não reconheceu Daniel Alves. Um grupo de mexicanos, amigos do jogador, o apresentaram à denunciante. Ela e o lateral-direito dançaram juntos até que o jogador teria levado a mão dela ao seu pênis. Por volta das 4h30, ele pediu para que ela o seguisse até uma porta. Seria a entrada de um banheiro, onde teria ocorrido a agressão.

A denunciante afirma que tentou sair do banheiro, mas foi impedida pelo jogador. Também afirma à Justiça que penetrou de maneira violenta até ejacular. A segurança do local foi informada do ocorrido, mas Daniel Alves já tinha deixado a boate.

A vítima fez exames num hospital e, de acordo com os veículos, foi detectada a presença de sêmen em seu vestido.

Daniel Alves foi enviado nesta sexta-feira à prisão Brians I, cerca de 30km de Barcelona. Preso por uma denúncia de agressão sexual, o jogador, segundo fontes ouvidas pelo jornal espanhol “El Periódico”, permaneceu calado e demonstrou bastante abatimento. Neste sábado ele passará por entrevistas e procedimentos burocráticos, que definiram em qual parte da prisão ele será transferido.

Nesta sexta-feira, Daniel Alves, assim que chegou ao presídio, passou pelo procedimento de coleta de impressões digitais e fotos, ainda de acordo com o “El Periódico”. Durante todo o procedimento ele quase não disse nenhuma palavra.

Enquanto não é destacado para uma área da prisão, ele passará seus dias na ala de presos preventivos. Por protocolo da própria prisão, ele passou a noite acompanhado de outros detentos na mesma condição dele.

Neste sábado o jogador deve receber visita de familiares que lhe levaram objetos pessoais. Além disso, será examinado por um médico, um psicólogo, um advogado e monitores da prisão. Todas essas entrevistas também fazem parte do protocolo. Serão baseadas nelas, que será designado o local do presídio onde Daniel Alves será enviado. A única etapa dispensada foi a entrevista com a assistente social porque já é sabido que o jogador não vive em condição de vulnerabilidade social.

A noite do suposto crime

Após a denúncia

A defesa do jogador

Depoimento e detenção

O brasileiro, que estava no México, retornou nesta semana à capital da Catalunha para testemunhar espontaneamente nesta sexta-feira.