Mulher que atacou fiscal no Rio tem empresa com capital de R$ 94 mil e marido recebe auxílio emergencial

João de Mari
·3 minuto de leitura
Uma das regras diz que o beneficiário pelo auxílio não pode ter renda familiar superior a três salários mínimos. Ou seja, R$ 3.135 (Foto: Reprodução/TV Globo)
Uma das regras diz que o beneficiário pelo auxílio não pode ter renda familiar superior a três salários mínimos. Ou seja, R$ 3.135 (Foto: Reprodução/TV Globo)

A engenheira química Nívea Valle del Maestro, mulher que aparece atacando verbalmente um fiscal da Vigilância Sanitária durante reportagem do Fantástico, de ontem (5), é sócia de uma empresa que presta serviços de engenharia com capital social de R$ 94 mil.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Acontece que seu marido, Leonardo Santos Neves Barros, que aparece ao lado dela nas imagens, recebeu ao menos uma parcela do auxílio emergencial do governo criado para socorrer trabalhadores desempregados e de baixa-renda durante a pandemia do coronavírus.

Pelas normas do programa, ele não poderia ter tido acesso ao valor de R$ 600. Uma das regras diz que o beneficiário pelo auxílio não pode ter renda familiar superior a três salários mínimos. Ou seja, R$ 3.135.

Durante a abordagem do fiscal da Vigilância Sanitária, o próprio bacharel em engenharia civil releva seu nome completo e o número do seu CPF. Basta buscar o número do documento no site da Caixa Econômica Federal para encontrar a informação de que ele é beneficiário do programa.

A empresa no nome de Nívea, que ainda tem especialização em administração de empresas, é a AC Engenharia e Consultoria EIRELI, localizada na Barra da Tijuca, bairro nobre do Rio de Janeiro.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Além disso, Nívea era funcionária de uma empresa privada do setor de energia. Nesta segunda-feira (6), porém, ela foi demitida pois “seu comportamento não condiz com as normas da empresa”, segundo nota divulgada.

Na reportagem do Fantástico, é possível ouvir Leonardo dando a entender que ele pagava o salário do fiscal que foi hostilizado Flávio Graça. “Você não vai falar com o seu chefe, não?”, disse ele, enquanto filmava a abordagem com seu celular.

Leia também

Durante a discussão, Nívea interrompe o marido e ataca o fiscal. “Cidadão, não, engenheiro civil, formado, melhor que você”, disse ela, referindo-se ao marido.

Nas redes sociais, que foram deletadas, Leonardo se define como “anti-PT, anti-PSOL, anti-PCdoB e anti-imprensa".

O fiscal Flávio Graça é doutor em Ciências Veterinárias na área de Sanidade Animal pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e funcionário público concursado da Prefeitura do Rio.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.