Mulher que tentou pular muro da Casa Branca é detida pela 3ª vez

Washington, 26 mar (EFE).- A mulher que na terça-feira passada tentou pular o muro da Casa Branca foi presa neste domingo perto da residência presidencial - na terceira detenção em seis dias - pelo Serviço Secreto, que protege o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

De acordo com o Serviço Secreto, Marci Anderson Wahl, de 38 anos, foi surpreendida depois que o alarme foi acionado quando ela escalava uma cerca do Departamento de Tesouro, prédio adjacente ao complexo da Casa Branca, informou a rede de TV "WJLA".

Ela carregava uma mochila e um saco de dormir no momento da prisão. Uma equipe inspecionou os pertences, mas não achou explosivos nem substâncias perigosas.

Marci já tinha sido detida na terça-feira passada, quando tentou driblar a cerca da Casa Branca, mas se atrapalhou com o cadarço do sapato e ficou pendurada já na parte interna do recinto presidencial.

Em seu depoimento, ela disse que queria "falar com o presidente Donald Trump", indicou a Polícia, que deu a ela uma ordem de afastamento da Casa Branca ao ser liberada, depois de comparecer a um tribunal de Washington na quarta-feira passada. Na sexta, ela foi detida de novo por descumprir a determinação, quando um agente a avistou perto dos jardins de Lafayette, na frente da Casa Branca.

Marci foi liberada ontem, depois de receber uma ordem para comparecer perante o tribunal em 27 de abril, mas hoje voltou a ser detida. Ela foi acusada de violação de propriedade alheia e desacato. EFE