Mulher teria encomendado morte de marido para ter seguro de vida

Suspeita é de que Joaniz Divino de Almeida tenha tido da morte encomendada por Luciane Araújo Silva. Foto: Reprodução/Facebook

Uma mulher foi presa suspeita de ter encomendado a morte do marido em Belo Horizonte, Minas Gerais, para ficar com o seguro de vida dele, que valeria cerca de R$ 30 mil.

Segundo informações da Polícia Civil, Luciane Araújo Silva teria pedido ajuda do amante Samuel Felipe da Paixão para realizar o crime.

O casal de amantes teria contratado dois conhecidos de Paixão para que eles matassem o eletricista Joaniz Divino de Almeida no último dia 2 de julho.

Leia também:

No dia do crime, Luciane teria ido até a casa do amante de manhã e, quando voltou para casa, ligou para a vítima dizendo que tinha passado mal.

O marido, então, teria ido para casa na intenção de levar a esposa para o hospital. Porém, quando ele chegou no local, foi rendido. Depois disso, Luciane teria ido para um bar e depois para uma loja de móveis.

Enquanto ela fazia compras, o marido era amordaçado e amarrado para depois ser esfaqueado. O crime teria custado R$ 50 para a mulher. De acordo com a polícia, ela deu a quantia para que o amante buscasse os outros homens que ajudariam no crime.

Ao voltar para casa, a mulher não chamou a polícia nem o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Ela ligou para o irmão da vítima e comunicou que o marido estava morto.

Foi o irmão do homem que chamou a polícia, pois a esposa da vítima disse para o cunhado que ela estava muito cansada e que precisava deitar.

Luciane e Paixão foram presos e prestaram depoimento nesta quarta-feira (10). Agora, as autoridades tentam achar os outros dois suspeitos, que teriam cometido o assassinato.

A mulher da vítima nega envolvimento no crime e diz que Paixão matou o companheiro dela. Ele, no entanto, confirma que recebeu dinheiro de Luciane, mas diz que eles não eram amantes.