'É que nem mulher traída, apanha, mas volta', diz líder do PSL sobre atrito com Bolsonaro

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), voltou atrás depois de ser gravado em reunião do partido dizendo que implodiria o presidente Jair Bolsonaro.

"Isso já passou. Nós somos Bolsonaro. Somos que nem mulher traída, apanha, mas mesmo assim volta ao aconchego", afirmou nesta quinta-feira (17).

Leia também

O parlamentar foi gravado na reunião do grupo ligado ao presidente da legenda, Luciano Bivar (PSL-PE), na Câmara, por Daniel Silveira (PSL-RJ). O encontro se deu nesta quarta (16).

"Vou fazer o seguinte, eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele, eu tenho a gravação. Não tem conversa, eu implodo o presidente, cabô, cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo, cara. Eu votei nessa porra, eu andei no sol 246 cidades, no sol gritando o nome desse vagabundo", disse Waldir no áudio.

Nesta quinta, ele contemporizou a fala, que disse vir de "momento de sentimentos". "É uma fala de emoção", afirmou.

Ele disse que foi motivado por um sentimento de que o presidente foi ingrato com os parlamentares. "Não só comigo, com dezenas de parlamentares, com o presidente Luciano Bivar", disse.

O líder afirmou que trabalhará para unificar a bancada. Waldir disse que os excessos de deputados dissidentes serão punidos.

"Existe o Conselho de Ética da Câmara e do partido, existem várias normas e dentro desse regramento com certeza nós iremos representar contra quem cometeu excessos", disse na saída de almoço com a bancada, que também reuniu o presidente da legenda.

***Da Folhapress