Mulher trans é enterrada como homem e com bigode: 'desrespeitada pela família'

A travesti Alana, de 30 anos, faleceu após lutar contra uma doença que atacava seus pulmões.

Na última segunda-feira (11), no entanto, seu enterro revoltou amigos e o movimento em defesa da comunidade transexual de Aracajú (SE).

Lana, como gostava de ser chamada, foi velada usando terno, gravata e bigode, como se fosse um homem.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos