Mulher trans comandará Secretaria de Direitos LGBTQIA+

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O futuro ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, vai nomear a ativista transexual Symmy Larrat para a Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+, que será criada na estrutura da pasta.

Paraense, ela é a atual presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT). Anteriormente, foi gestora de políticas para o setor no governo Dilma Rousseff (PT).

Também implementou na gestão de Fernando Haddad (PT) na Prefeitura de São Paulo o programa Transcidadania, de políticas públicas interseccionais para pessoas transgêneras.

"Symmy agrega todos os predicados essenciais para o exercício desta histórica função: capacidade de gestão, ativismo e propensão ao diálogo sem jamais abdicar da intransigente defesa dos direitos da população LBTQIA+. Eu tenho muito orgulho de tê-la ao meu lado na tarefa de reerguer a política nacional de direitos humanos", afirma o futuro ministro.